Mercados num minuto Abertura dos mercados: Riscos geopolíticos deixam bolsas, juros e petróleo sem definição

Abertura dos mercados: Riscos geopolíticos deixam bolsas, juros e petróleo sem definição

As bolsas europeias estão divididas entre ganhos e perdas pouco acentuadas, tal como os juros da dívida, antes de serem conhecidos os dados da inflação. As ameaças de Pyongyang, a Catalunha e o Brexit continuam a pesar no sentimento.
Abertura dos mercados: Riscos geopolíticos deixam bolsas, juros e petróleo sem definição
Rita Faria 17 de outubro de 2017 às 09:20

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,05% para 5.449,66 pontos

Stoxx 600 ganha 0,07% para 391,70 pontos

Nikkei valorizou 0,38% para 21.336,12 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 0,8 pontos para 2,337%

Euro recua 0,26% para 1,1765 dólares

Petróleo em Londres ganha 0,10% para 57,88 dólares o barril

 

Bolsas europeias sem tendência definida

As bolsas europeias estão a negociar sem uma tendência definida esta terça-feira, 17 de Outubro, numa altura em que os receios em torno da Coreia do Norte voltam a juntar-se a uma série de riscos geopolíticos que incluem o Brexit e a Catalunha. Isto depois de Pyongyang ter avisado que uma guerra nuclear "pode estalar a qualquer momento".

Por outro lado, o impasse na Catalunha mantém-se depois de Carles Puigdemont não ter respondido ao pedido do Governo central para esclarecer se declarou ou não a independência, e o jantar entre Theresa May e Jean Claude Juncker sobre as negociações do Brexit não resultou em qualquer progresso. 

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,07% para 391,70 pontos.

 

Em Lisboa, o PSI-20 cai 0,05% para 5.449,66 pontos, penalizado sobretudo pela EDP e REN, que continuam a reagir às novas tarifas de electricidade e ao corte do preço-alvo e recomendação por parte do Haitong. A EDP desliza 0,6% para 2,98 euros e a REN cai 1,04% para 2,652 euros.

 

Juros da dívida entre subidas e descidas pouco acentuadas

Os juros da dívida portuguesa a dez anos estão a subir 0,8 pontos para 2,337%, numa altura em que não há uma tendência definida nos países do euro. Em Espanha, a ‘yield’ associada às obrigações a dez anos desce cai 1,0 ponto para 1,571% e na Alemanha sobe 0,1 pontos para 0,373%.

 

Esta evolução acontece num dia em que serão divulgados os dados sobre a inflação na Zona Euro em Setembro, a pouco mais de uma semana da reunião mensal do BCE, em que poderão ser dados mais pormenores sobre a redução dos estímulos à economia.

 

Dólar sobe pela quarta sessão

O índice que mede o desempenho do dólar face às principais congéneres mundiais está a subir pela quarta sessão consecutiva, devido à expectativa de que o próximo presidente da Fed será favorável a uma subida mais rápida dos juros no país.

 

No mercado, cresce a especulação de que Donald Trump irá nomear John Taylor para o cargo. O economista da Universidade de Stanford já defendeu que a Fed deveria ter aumentado a taxa directora três vezes mais rápido que fez até agora.

 

Brent próximo dos 58 dólares

O petróleo está pouco alterado nos mercados internacionais, devido às tensões entre o governo iraquiano e a região curda semi-autónoma. O conflito em Kirkuk, onde estão os campos mais antigos do Iraque, fechou a produção de dois depósitos que produzem 275 mil barris por dia.

Em Nova Iorque, o West Texas Intermediate (WTI), desce 0,02% para 51,86 dólares, enquanto em Londres, o Brent ganha 0,10% para 57,88 dólares.

 

Ouro cai pela segunda sessão

O ouro está em queda pela segunda sessão consecutiva, depois de ter chegado a negociar ontem no valor mais alto em três semanas, acima dos 1.300 dólares. O metal precioso está a contrariar a evolução do dólar norte-americano, penalizado pela perspectiva de uma subida mais rápida dos juros nos Estados Unidos.

 

Nesta altura, o ouro cai 0,41% para 1.290 dólares enquanto a prata desce 0,54% para 17,1356 dólares. 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 dias

Além disso lembrar os mais distraídos que já é possível transferir dinheiro para bitcoins... a possibilidade aconteceu a partir de ontem e o bitcoin disparou novamente... Por isso meus amigos comecem a tratar de pagar tudo por bitcoins... sobretudo o que não querem que se saiba...

hoje otimo dia para comprar BCP Há 2 dias

AMANHÃ já não há a este preço em BREVE o MILENIUM BCP deixará de cotar ao preço de um REBUÇADO do DR BAYAR os FARTOS LUCROS vão dar origem a GENEROSOS DIVIDENDOS o BCP vai TRIPLICAR até MARÇO de 2018

pub