Bolsa Acções da Hugo Boss disparam em bolsa com aumento das vendas na China

Acções da Hugo Boss disparam em bolsa com aumento das vendas na China

Os títulos da Hugo Boss negoceiam em máximos de quase sete meses, depois de a empresa ter reportado um aumento das vendas na China.
Acções da Hugo Boss disparam em bolsa com aumento das vendas na China
Bloomberg
Rita Faria 02 de Novembro de 2016 às 12:02
As acções da Hugo Boss estão a disparar na bolsa de Frankfurt, depois de a empresa ter reportado um crescimento das vendas na China, que dá um novo impulso ao plano do novo CEO para revitalizar a marca, depois de vários anos de queda.

Os títulos sobem 6,54% para 60,40 euros, depois de terem chegado a disparar um máximo de 7,96% para 61,20 euros, o valor mais elevado desde Abril.

Num comunicado divulgado esta quarta-feira, a Hugo Boss anunciou que o EBITDA caiu 14% no terceiro trimestre para 144,5 milhões de euros, um valor acima do esperado pelos analistas, que apontavam para 138,5 milhões.

O CEO da empresa Mark Langer – que deixou o cargo de CFO em Maio para substituir Claus-Dietrich Lahrs – tem em marcha um plano para reestruturar a marca, que já resultou num corte de custos de 65 milhões de euros este ano, mais 15 milhões do que o previsto.

"O terceiro trimestre não foi fácil", referiu Langer, citado pela Bloomberg. "No entanto, temos uma tendência ascendente na China agora. Estou satisfeito com a forma rápida e abrangente como ajustámos as nossas estruturas de custos".

As vendas na China subiram, em termos homólogos, revertendo a tendência negativa de períodos anteriores. Nos Estados Unidos, as vendas desceram 14% e, na Europa, 2%. 



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub