Bolsa Acções dos CTT abaixo dos 5 euros já perdem mais de 17% em quatro sessões

Acções dos CTT abaixo dos 5 euros já perdem mais de 17% em quatro sessões

Os títulos dos CTT estão a desvalorizar pela quarta sessão consecutiva, e já atingiram um novo mínimo histórico abaixo dos 5 euros. A revisão das estimativas para 2016 continua a pressionar a empresa.
Acções dos CTT abaixo dos 5 euros já perdem mais de 17% em quatro sessões
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 01 de fevereiro de 2017 às 11:08

É mais um dia de perdas para as acções dos CTT, que negoceiam em terreno negativo esta quarta-feira, 1 de Fevereiro, pela quarta sessão consecutiva.

Os títulos, que deslizam nesta altura 2,99% para 5,00 euros, já perderam um máximo de 4,23% durante a manhã, para negociarem nos 4,936 euros, o valor mais baixo desde que e empresa entrou em bolsa, em Dezembro de 2013. Aí, os CTT tinham as acções avaliadas em 5,52 euros.

Só nas últimas quatro sessões, a empresa postal já perde mais de 17%, elevando a descida acumulada desde o início do ano para quase 22%.

Os títulos continuam a ser pressionados pela revisão das estimativas feita pela gestão da companhia, que estima agora que a redução de 4,2% do correio no quarto trimestre deverá implicar uma diminuição entre "4% e 5% nos rendimentos operacionais de 2016".

A actualização das estimativas levou várias casas de investimento a descerem o preço-alvo das acções da empresa liderada por Francisco Lacerda e empurrou os títulos para a sua pior sessão de sempre em bolsa, na segunda-feira, com uma desvalorização de 14%.

Este desempenho levou mesmo a CMVM a proibir a venda a descoberto dos CTT – "short selling" – na terça-feira, uma proibição que já não está hoje em vigor.

Logo na segunda-feira, o BPI reviu em baixa a sua avaliação dos CTT de 7,0 euros para 6,80 euros, enquanto o JPMorgan baixou a recomendação de "overweight" para "underweight", e cortou o preço-alvo em 32% para 6,05 euros.

O Barclays reduziu o "target" para 8,00 euros e o Haitong suspendeu a cobertura.

Apesar da revisão das estimativas, a empresa de correios reafirmou "que poderá propor um dividendo mínimo de 0,48 euros por acção para 2016, pagável em 2017", um valor que corresponde a um crescimento de 2,1% face a 2015.




A sua opinião37
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 01.02.2017


O BES era um banco de família, assim o diziam os empregados todos empertigados, quando eu tinha acções do BES ainda diziam q para além de ser de família tem muitas alavancas e é sólido! Uma empregada nova gestora de conta assim o afirmava! Quem foi no engodo bem se fornicou e ficou sem nada!
Conclusão, isto vai dar molho...muita subjetividade e muito pouca objetividade...5€ tem margem para descer e muito...trabalhar como banco dá muita incerteza e é necessário muito capital...é possível um aumento de capital????????????????????Só sei que nada sei....

comentários mais recentes
investidor1 01.02.2017

https://goo.gl/forms/x0xEbq0UtoHFDzJm1

Obrigado pelo seu tempo.

o armado em nuno 01.02.2017

amanhã o meu banquinho vai aos 0.18 no dia 9 de fevereiro subirá para cima dos 0.25 depois não digam que eu não sou vosso amigo

o armado em nuno 01.02.2017

ALELUIA hoje já ouvi aqui um comentário a dizer que o meu banquinho é OURO

Anónimo 01.02.2017

Acções dos CTT abaixo dos 5 euros já perdem mais de 17% em quatro sessões

ESTÁ na altura de voltar para o ESTADO!

QUANDO DÁ LUCRO PRIVATIZA-SE.!
QUANDO NÃO DÁ, NACIONALIZA-SE|

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub