Bolsa Altri e BCP dão gás à bolsa nacional

Altri e BCP dão gás à bolsa nacional

A bolsa nacional fechou em alta, sustentada sobretudo pela Altri e pelo BCP. No resto da Europa, a tendência também foi de subida, com Espanha a registar a maior subida numa sessão de correcção das perdas recentes.
Altri e BCP dão gás à bolsa nacional
Pedro Catarino/CM
Carla Pedro 05 de outubro de 2017 às 16:46

O PSI-20 encerrou a sessão desta quinta-feira a somar 0,78% para 5.427,77 pontos, com 15 cotadas em alta e três em baixa.

 

No resto da Europa, a tendência reinante foi também de subida, com as principais praças a corrigirem das perdas de ontem. O índice madrileno Ibex 35 registou a maior recuperação, ao escalar 2,46%, depois de várias sessões em queda devido ao clima de incerteza em torno do movimento independentista na Catalunha.

 

O relato de que os separatistas catalães estão a tentar encontrar uma forma de protelar uma declaração definitiva de independência ajudou ao optimismo em Espanha. Isto depois de o Tribunal Constitucional espanhol ter decretado a suspensão da sessão do Parlamento catalão sobre o referendo que estava agendada para a próxima segunda-feira.

 

O sector financeiro estava a perder bastante terreno em Espanha – penalizando também o índice sectorial da banca europeia – e o CaixaBank e o Sabadell disseram mesmo estar a estudar a retirada das suas sedes da Catalunha. Hoje foi dia de recuperação na banca espanhola, o que impulsionou os índices.

 

Por cá, a Altri voltou a ser a cotada que mais animou o índice de referência nacional. Depois de ontem ter superado os cinco euros pela primeira vez em quase dois anos, hoje manteve a trajectória altista. As acções da produtora de pasta fecharam a ganhar 2,61% para 5,11 euros, mantendo-se assim em máximos de Dezembro de 2015.

 

Na quarta-feira, o CaixaBI melhorou o preço-alvo dos títulos da Altri de 4,70 para 5,30 euros, reduzindo no entanto a recomendação de "comprar" para "acumular". O restante sector do papel também contribuiu para os ganhos do PSI-20, com a Semapa a avançar 2,34% para 16,40 euros e a Navigator a valorizar 1,04% para 4,29 euros.

 

No verde e a animar a praça lisboeta esteve igualmente o BCP. O banco liderado por Nuno Amado encerrou a sessão a subir 2% para 0,2449 euros. O banco de investimento cipriota Axia Research acredita que o BCP vai "regressar à normalidade" em 2018 e que as metas previstas para esse ano vão ser cumpridas, tendo assim iniciado a sua cobertura com uma recomendação de "comprar" e um preço-alvo de 0,32 euros, o que confere aos títulos um potencial de valorização de 31,1% face ao fecho de hoje.

O sector da energia também ajudou ao optimismo nesta sessão. A EDP somou 0,55% para 3,10 euros e a sua subsidiária para as renováveis pulou 1,16% para se estabelecer nos 7,158 euros.

 

Já a petrolífera Galp Energia registou um acréscimo de 1,54% para encerrar a valer 15,195 euros, num dia em que os preços do crude seguem a subir mais de 2% nos principais mercados internacionais.

A travar maiores ganhos estiveram sobretudo a Pharol, que cedeu 2,83% para 0,378 euros, e a Jerónimo Martins, que recuou 1,12% para se fixar nos 16,37 euros.

 

Também as acções dos CTT fecharam em baixa, a perderem 1,01% para 5,023 euros. 

(notícia actualizada às 16:53)




pub