Research Analistas cortam avaliação dos CTT. Acções afundam mais de 20%

Analistas cortam avaliação dos CTT. Acções afundam mais de 20%

Os CTT apresentaram um conjunto de resultados que ficaram abaixo das estimativas, além de terem cortado o dividendo que vão distribuir aos accionistas. Os analistas reagem, reduzindo a avaliação, nalguns casos, em mais de 20%.
Analistas cortam avaliação dos CTT. Acções afundam mais de 20%
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Antunes 01 de novembro de 2017 às 10:45

Os CTT anunciaram na terça-feira, 31 de Outubro, já após o fecho do mercado, que os seus lucros nos primeiros nove meses do ano caíram 57% para 19,5 milhões de euros. Já o EBITDA recuou 25% para 68 milhões de euros, num período em que os gastos operacionais aumentaram 5,6% para 23,7 milhões de euros.

 

Além deste conjunto de resultados, que ficou aquém das expectativas dos analistas, os CTT anunciaram ainda que a proposta de dividendo será cortada de 48 para 38 cêntimos.

 

Estes anúncios levaram a uma queda abrupta das acções em bolsa e a revisões por parte dos analistas, com os preços-alvo a sofrerem cortes pronunciados.

 

As acções dos CTT estão a deslizar 18,63% para 4,114 euros, tendo já chegado a afundar 20% para 4,01 euros, o que corresponde ao valor mais baixo de sempre. Além disso, a sessão está a ter uma liquidez elevada, tendo já trocado de mãos mais de 4,5 milhões de acções, quando a média diária dos últimos seis meses é de pouco mais de 700 mil.

 

As acções estão ainda a reflectir as várias notas de análise entretanto emitidas.

 

O BPI cortou a avaliação dos CTT em 27,7%, passando o preço-alvo de 6,50 euros para 4,70 euros. A recomendação que era de "comprar" passou para "underperform", ou seja, as acções deverão ter um desempenho abaixo dos pares, de acordo com uma nota a que o Negócios teve acesso.

 

Os analistas Bruno Silva e Filipe Leite destacam que os resultados ficaram muito abaixo das estimativas e que as previsões deixadas surgem como um "profit warning", ou seja, os CTT estão a antecipar que as metas que tinham sido traçadas para este ano não vão ser cumpridas. O que leva a que o BPI esteja menos optimista em relação ao futuro da empresa liderada por Francisco Lacerda. As novas previsões apontam para um corte de 20% ao nível do EBITDA dos CTT.

 

Já o JPMorgan terá reduzido a sua avaliação em 12,7%, passando o preço-alvo de 5,50 euros para 4,80 euros. A recomendação foi mantida em "neutral", segundo os dados disponíveis na Bloomberg.

 

Outra casa de investimento que reduziu a avaliação dos CTT foi a Mainfirst, tendo cortado a avaliação em 28,5% para 5,0 euros. O analista Tobias Sittig reduziu ainda a recomendação de "outperform" (desempenho acima dos pares) para "neutral", segundo a Bloomberg.

 

Já o BBVA terá colocado os CTT sob revisão. A anterior recomendação, reiterada a 27 de Outubro, era de "outperform" com um preço-alvo de 7,10 euros.

 

"Os resultados do terceiro trimestre ficaram muito abaixo das nossas estimativas", salientou o analista do Haitong Nuno Estácio, numa nota citada pela Bloomberg. Este conjunto de resultados "foi obviamente muito negativo e foi afectado por receitas mais baixas do que o esperado além de um aumento dos custos superior ao das estimativas", explica o analista. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião25
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Este CEO ´s só vaidade e por isso quer ter mais um banco.
Reestruturacao a serio nos CTT nao fez nada. Trabalhadores continuam com os beneficios de saude etc que veem desde antes de 1994. E muitos outros beneficios. Ora num negocio com receitas em queda para alem de tentar reinventar o negocio ha que cortar custos. Mas como isso da ma imprensa e o senhor ainda se despenteia, ... nada faz.
E bom lobby esta a fazer para ir para CEO da EDP. Mas os chineses tb ja devem ter topado a pinta do senhor.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

CTT é uma grande empresa mas este traste nada percebe deste negócio. ...Rua!

Anónimo Há 2 semanas

O negócio de correios físico é 76% das receitas e está a cair 7%. A continuar assim....

CTT só vai estabilizar nos 3,50 € Há 2 semanas

Analisei os resultados divulgados ontem, e com base no EDITDA recorrente anualizado de 91,9 M€, descontado a uma taxa que envolva o risco da atividade, menos a dívida líquida, dividido pelas 150 milhões de ações, dá valor de 3,50 €. Por isso, CTT continuará a descer, até estabilizar nos 3,50 €.

Anónimo Há 2 semanas

Analistas CTT cortam analise das acções em 20%, no ultimo ano não acertaram em nada ,ver quadro analistas CTT ,perante estes resultados é porem uns patins no ceo e está o assunto resolvido .Correios sempre a abarrotar de gente e não dão lucro?

ver mais comentários
pub