Investidor Privado Antevisão da semana: A confiança dos consumidores e os limites de votos no BCP

Antevisão da semana: A confiança dos consumidores e os limites de votos no BCP

À medida que se aproxima o final do ano, são revelados indicadores que permitem tirar pistas sobre o andamento da economia. Em foco estará também a reunião dos accionistas do BCP para decidir sobre os direitos de voto.
Antevisão da semana: A confiança dos consumidores e os limites de votos no BCP
Bruno Simão/Negócios
Rui Barroso 18 de dezembro de 2016 às 18:45

SEGUNDA 19

PORTUGAL

Os preços da habitação e na produção industrial

O Instituto Nacional de Estatística prevê divulgar o índice de preços na habitação, referente ao terceiro trimestre. E conta também publicar os dados sobre os índices de preços na produção industrial. 

ZONA EURO

As palavras do presidente do bundesbank

Jens Weidmann, o presidente do banco central alemão, faz declarações públicas em Bruxelas. O responsável pelo Bundesbank tem sido uma voz céptica em relação à eficácia dos estímulos monetários. Este mês o BCE anunciou um prolongamento do programa de compras até final do próximo ano, mas com uma redução do ritmo de aquisições mensais a partir de Abril de 2017.

PORTUGAL

A decisão sobre os limites de voto no BCP

Após dois adiamentos, os accionistas do BCP vão deliberar sobre se aumentam o limite máximo de voto. Segundo os estatutos do banco esse limite é de 20%, mas a proposta é que esse limiar seja aumentado para 30%. O último adiamento dessa votação ficou a dever-se à tentativa do banco em obter o maior consenso possível nesta decisão.

QUARTA 21

ZONA EURO

Tomar o pulso à confiança dos consumidores

É divulgada a estimativa rápida para o índice de confiança dos consumidores da Zona Euro, um indicador que serve para tomar o pulso à economia. A expectativa é que se continue a assistir a uma recuperação, impulsionada pelos consumidores alemães, franceses e espanhóis.

PORTUGAL

Os custos com o crédito à habitação

O Instituto Nacional de Estatística divulga as taxas de juro implícitas no crédito à habitação, referentes a Novembro. Nos últimos meses a tendência tem sido de descidas e em Outubro foram mesmo fixados novos mínimos.

DADOS ECONÓMICOS

O andamento da economia portuguesa

O Instituto Nacional de Estatística divulga a síntese económica de conjuntura, referente a Novembro, uma publicação com indicações sobre as tendências do crescimento da procura, da produção, do rendimento e dos preços.

QUINTA 22

PORTUGAL

As estatísticas sobre as finanças e as contas públicas

O Banco de Portugal publica o Boletim Estatístico que actualiza as estatísticas monetárias, financeiras, cambiais, da balança de pagamentos, da posição de investimento internacional e das contas nacionais financeiras.

EUA

Dados do consumo nos eUA em foco

São divulgados nos EUA os dados sobre os rendimentos e dos gastos das famílias em Novembro, um indicador que permite retirar pistas para a evolução do PIB no quarto trimestre. Os economistas do RBC Capital Markets antecipam uma quebra nos rendimentos, mas uma subida nos gastos.

SEXTA 23

EUA

A evolução do mercado imobiliário

São conhecidos os dados da venda de casas novas nos EUA, em Novembro. O consenso do mercado aponta para que a tendência de recuperação continue. As estimativas apontam para um aumento de 563 mil, para 575 mil no número de casas novas vendidas.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
JCG 19.12.2016

Será preciso assim um tão grande distanciamento para avaliar o caráter nojento e reles desse gajo - o Amado - no seu papel de agente dos chineses dando-lhes o BCP por meia dúzia de patacos, prejudicando os outros acionistas, a troco, certamente, de uns milhões para ele e para a matilha que o acolita?

pub