Investidor Privado Antevisão da semana: Bolsas às voltas com Trump, de olho na inflação e bancos centrais

Antevisão da semana: Bolsas às voltas com Trump, de olho na inflação e bancos centrais

A eleição de Trump vai continuar no centro das atenções, numa semana dominada por declarações de membros da Fed e do BCE. A divulgação de importantes indicadores económicos também vai agitar as bolsas.
Antevisão da semana: Bolsas às voltas com Trump, de olho na inflação e bancos centrais
Reuters
Patrícia Abreu 13 de Novembro de 2016 às 19:00

Segunda-feira, 14 de Novembro

Indicadores económicos

Dados da Produção industrial agitam primeira sessão
A semana arranca com a divulgação da produção industrial na Zona Euro e na China, em Outubro, dados que deverão ser acompanhados pelos investidores mundiais. Os últimos dados na China têm mostrado sinais de recuperação, enquanto na Zona Euro as previsões dos economistas apontam para um abrandamento do índice. Os EUA também divulgam a produção industrial durante a semana.

Terça-feira, 15 de Novembro

Política Monetária
Mark Carney discursa sobre taxas de juro no Reino Unido
O governador do Banco de Inglaterra, Mark Carney, vai esta terça-feira ao Parlamento britânico. Depois de ter decidido deixar a taxa de juro inalterada este mês e ter afastado uma descida da taxa de referência em 2016, o presidente do Banco de Inglaterra deverá avançar com as suas projecções para a economia no Reino Unido, bem como dar indicações sobre a sua política de estímulos.



Quarta-feira, 16 de Novembro

Matérias-primas

AIE divulga "outlook" anual para a energia
Dias depois de ter adiantado que considera difícil a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) implementar o corte de produção acordado em Setembro, a Agência Internacional de Energia apresenta o seu "outlook" anual para a energia. Neste documento a instituição deverá actualizar as suas perspectivas para a oferta de crude no mercado e para a evolução da procura por matérias-primas.

Obrigações
Portugal faz a última emissão de dívida de curto prazo do ano
O Tesouro português vai ao mercado pela última vez este ano com uma operação de curto prazo. O IGCP, o instituto que gere a dívida pública portuguesa, realiza uma dupla emissão de dívida a seis e 12 meses, tendo como objectivo colocar um montante indicativo entre 1.250 milhões e 1.500 milhões de euros. Esta operação surge depois de vários dias marcados pelo forte agravamento das taxas de juro no mercado secundário, na sequência do resultado eleitoral nos EUA.

Quinta-feira, 17 de Novembro

Taxas de juro

Yellen fala pela primeira vez após eleição de Trump
Donald Trump criticou abertamente as decisões da Reserva Federal sobre as taxas de juro e Janet Yellen não deverá perder a oportunidade de reafirmar a independência da instituição no discurso que realiza esta semana em Washington. A presidente do banco central norte-americano deverá ainda abrir porta a uma mexida nos juros em Dezembro.


Sexta-feira, 18 de Novembro

Dados Económicos

Inflação aproxima-se do objectivo do banco central nos EUA
O Departamento do Trabalho dos EUA deverá reportar esta quinta-feira uma subida do índice de preços no consumidor. A inflação deverá ter crescido para 1,6% em Outubro, aproximando-se do objectivo da Fed. Na Europa, os preços também deverão ter crescido no mês passado.

Política monetária
Investidores atentos às palavras de Mario Draghi
Mario Draghi também vai estar presente em vários eventos. No final da semana, o presidente do BCE discursa no Congresso Bancário Europeu, podendo deixar pistas sobre o rumo da política monetária. A decisão do próximo mês é aguardada com expectativa devido à aproximação do fim do plano de compra de activos.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Com franquesa:quem tiver a primeira gravacao dela nao precisa de a ouvir mais.

pub
pub
pub
pub