Bolsa Apple com a maior queda em um mês após corte de estimativas

Apple com a maior queda em um mês após corte de estimativas

As acções da empresa da maçã já estiveram a descer 3%, penalizadas pelo corte de estimativas para as encomendas do iPhone X nos primeiros três meses de 2018.
Apple com a maior queda em um mês após corte de estimativas
Bloomberg
Rita Faria 26 de dezembro de 2017 às 15:35

As acções da Apple estão a desvalorizar em bolsa esta terça-feira, 26 de Dezembro, penalizadas pelo corte das estimativas de alguns analistas para as encomendas do iPhone X nos primeiros três meses do próximo ano.

 

Os títulos descem 2,71% para 170,26 dólares, depois de terem chegado a desvalorizar um máximo de 3,05% no início da sessão. Esta é a maior descida intradiária desde o passado dia 29 de Novembro, e a maior queda desde 10 de Agosto, considerando apenas as variações de fecho.

 

Em apenas uma hora de negociação já trocaram de mãos mais de 11 milhões de acções da empresa da maçã, quase metade da média diária dos últimos seis meses (26 milhões).

 

No dia 24 de Dezembro, o Economic Daily News, de Taiwan, avançou que a empresa liderada por Tim Cook está mais pessimista em relação à procura pelo seu novo smartphone, antecipando encomendas de 30 milhões de unidades entre Janeiro e Março, o que compara com a anterior projecção de 50 milhões.

 

Entretanto, vários analistas decidiram já actualizar as suas previsões. Zhang Bin, analista da Sinolink Securities, estima que as remessas do iPhone X se situam em 35 milhões de unidades durante este período - um número inferior ao previsto em 10 milhões – enquanto a consultora JL Warren Capital LLC se mostra ainda mais pessimista fixando as encomendas em 25 milhões de unidades.

 

Apresentado no dia 12 de Setembro por Tim Cook, o novo iPhone conta com um ecrã OLED de 5,8 polegadas, e não tem o botão "home", que tem integrado todos os modelos desde que o iPhone foi lançado em 2007. O preço começa nos 999 dólares.




Saber mais e Alertas
pub