Obrigações Arábia Saudita pretende arrecadar 17,5 mil milhões de dólares em emissão de dívida

Arábia Saudita pretende arrecadar 17,5 mil milhões de dólares em emissão de dívida

A Arábia Saudita vai avançar com uma emissão de dívida a cinco, dez e 30 anos, em que pretende captar 17,5 mil milhões de dólares. Será a maior operação deste tipo realizada por uma economia emergente.
Arábia Saudita pretende arrecadar 17,5 mil milhões de dólares em emissão de dívida
Bloomberg / Reuters / Getty Images
Rita Faria 19 de Outubro de 2016 às 15:43

A Arábia Saudita pretende captar 17,5 mil milhões de dólares, naquela que será a maior emissão de dívida de um mercado emergente, avança a Bloomberg.

O Governo de Riade pretende vender obrigações denominadas em dólares com maturidade a cinco anos com um prémio cerca de 135 pontos acima da taxa das "treasuries" americanas, obrigações a dez anos com um spread de 165 pontos e a 30 anos de 210 pontos.

Na sua primeira operação deste tipo, a Arábia Saudita pretende arrecadar 5,5 mil milhões de dólares em cada uma das emissões a cinco e dez anos, e 6,5 mil milhões de dólares na emissão de dívida a 30 anos.

Se concretizada nestes termos, a operação da Arábia Saudita vai destronar a emissão de 16,5 mil milhões de dólares da Argentina, em Abril, como a maior alguma vez realizada por parte de um país em desenvolvimento. Os sauditas já enviaram representantes a Londres, Boston, Los Angeles e Nova Iorque para se reunirem com investidores, de modo a preparar a emissão. 


Segundo a Bloomberg, em 2015, a Arábia Saudita registou um défice de 97 mil milhões de dólares, o equivalente a 15% do PIB, o que levou o Governo a cortar subsídios e salários este ano.

A forte queda dos preços do petróleo está a obrigar os países exportadores, como a Arábia Saudita – muito dependentes das receitas petrolíferas – a procurarem fontes alternativas de financiamento.

Este será o primeiro passo de Riade, que também está a considerar a possibilidade de avançar com a dispersão em bolsa da sua petrolífera, a Saudi Aramco.  




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Tinto Há 2 semanas

Boa. Estão quase falidos. São estupidos e não aprendem nada mas Deus deu-lhes o petróleo. Estão cheios de dollars que já não são aceites em muitos países pois os EUA estão na falência. Comprem-lhes a dívida. Ah Ah Ah.

Anónimo Há 2 semanas

Mais um que vai emitir divida sem intenções nenhumas de pagar, com esta maldição do crédito o mundo ficará á beira do abismo.

Anónimo Há 2 semanas

Arabia sudita faz-me lembrar os tempos da primaria:so achavamos a caderneta de cromos completa quando conseguissemos o carimbado.meio seculo passado e isso repete-se la para os lados do petroleo.Como tudo regressa.

pub