Bolsa As cinco cotadas em Lisboa na mira do Marshall Wace

As cinco cotadas em Lisboa na mira do Marshall Wace

O "hedge fund" britânico reforçou as apostas negativas na bolsa. São cinco as empresas onde detém participações a descoberto. BCP e CTT são as cotadas com as maiores apostas negativas.
As cinco cotadas  em Lisboa na mira  do Marshall Wace
Bruno Simão/Negócios
Patrícia Abreu 10 de novembro de 2017 às 07:45
Reforçada Aposta na queda das acções do BCP
O BCP é um dos títulos onde o Marshall Wace está a apostar na queda das acções. Desde que passou a deter uma aposta curta no banco liderado por Nuno Amado no passado mês de Março, o "hedge fund" tem vindo a reforçar a sua participação negativa. A última vez que alterou a sua posição foi no início desta semana, aumentando a aposta contrária de cerca de 1%, para 1,1% do capital.

Maus resultados suportam participação curta nos CTT
O Marshall Wace foi um dos fundos que comunicou uma posição curta nos CTT, após a divulgação de resultados, no final de Outubro. A gestora mantém uma participação a descoberto representativa de 1,14% do capital, com os especialistas a anteciparem o comportamento negativo registado pela empresa de correios nos últimos dias. Em sete sessões, as acções desvalorizam cerca de 36%.

EDP integrada na lista de "shorts" em Lisboa
A eléctrica passou a integrar a lista de companhias onde os gestores da Marshall Wace identificam espaço para descidas. Segundo as informações comunicadas à CMVM, o "hedge fund" passou a deter, a 26 de Outubro, uma posição negativa equivalente a 0,78% do capital. Esta aposta surge depois das propostas de descida de tarifas para o próximo ano e da revisão em baixa das estimativas de resultados.

"Hedge fund" antecipa correcção da Mota-Engil
A Mota-Engil é a empresa que mais sobe na bolsa lisboeta em 2017. Mas a valorização de mais de 110% está a atrair a atenção dos especuladores, que antecipam uma correcção dos títulos após a escalada registada nos últimos meses. O Marshall Wace passou a controlar, a 24 de Outubro, uma posição curta de 0,7% na construtora. Também o Lansdowne Partners está a apostar na queda da cotada.

Participação mínima na Sonae
O Marshall Wace é o único "hedge fund" que detém uma aposta contrária nas acções da Sonae. Ao contrário da maioria dos especialistas, que mantém uma visão positiva para a evolução das acções da Sonae, fruto sobretudo da recuperação da economia, o Marshall Wace não abdica da sua participação a descoberto na retalhista. Ainda assim, reduziu-a este mês para 0,58%. Em Agosto era de 0,89%.



pub