Mercados As notícias da morte do Twitter foram manifestamente exageradas

As notícias da morte do Twitter foram manifestamente exageradas

Em véspera de apresentação de resultados, acções do Twitter estão a recuperar em bolsa.
As notícias da morte do Twitter foram manifestamente exageradas
Bloomberg
Mariana Adam 26 de julho de 2017 às 17:26

Desde o início do ano que várias vozes em Wall Street vaticinavam o fim desta rede social, mas o Twitter Inc surpreendeu tudo e todos. Depois deste difícil arranque de ano, o Twitter já valorizou em bolsa mais de 40% desde Abril.

Neste mês a rede social (dos 140 caracteres) anunciou uma subida dos utilizadores para 328 milhões. Os investidores reagiram a este "respirar sem ajuda artificial" e, em véspera de apresentação de resultados, o mercado mostra-se confiante: as acções do Twitter fecharam ontem terça-feira 25 de Julho, em 19,97 dólares, um aumento significativo, face ao mínimo de sempre, atingido a 17 de Abril (14,12 dólares). A apresentação de resultados está marcada para amanhã, quinta-feira.

"Para uma empresa que as pessoas pensavam há apenas seis meses que estava a bater às portas da morte, seguindo o caminho da Myspace e da AOL, a recuperação de dois dígitos e a aceleração contínua dos utilizadores realmente surpreenderam os investidores", disse Richard Greenfield, analista da BTIG Research.


Os analistas consultados pela Reuters esperam que o Twitter anuncie uma receita trimestral de 536,6 milhões de dólares – o que representaria uma queda de 10,9%, face aos 602 milhões registados no ano anterior. Os números são péssimos quando comparados, por exemplo, com o Facebook, mas os analistas estão a perceber que o Twitter está a tornar-se um serviço de nicho, mas para pessoas influentes como o presidente dos EUA, Donald Trump, que usa regularmente esta rede social. "Os anunciantes e investidores já se habituaram a olhar para o Twitter, como uma plataforma de nicho", disse o analista da revista Pivotal, Brian Wieser, acrescentando "não há nada de errado com isso".


"As pessoas estão dispostas a dar-lhes o benefício da dúvida se eles começarem a crescer de novo", disse o analista da Wedbush Securities, Michael Pachter.


De acordo com a Reuters, outros sinais positivos citados pelos analistas incluem o facto de o co-fundador e director executivo, Jack Dorsey, estar a reforçar o seu portefólio com acções da empresa.




pub
pub
pub
pub