Bolsa Banca italiana animada em bolsa com proposta de ajuda de 20 mil milhões

Banca italiana animada em bolsa com proposta de ajuda de 20 mil milhões

A maioria dos bancos italianos ganha mais de 2% em bolsa, animada pela notícia de que o Governo quer aprovar a constituição de um fundo para salvaguardar o sector em caso de falhanço da recapitalização do Monte dei Paschi.
Banca italiana animada em bolsa com proposta de ajuda de 20 mil milhões
Bloomberg

As acções dos bancos italianos estão a negociar em alta na bolsa de Milão, reagindo positivamente à notícia avançada esta segunda-feira de que o Governo liderado por Paolo Gentiloni vai propor ao parlamento a constituição de um fundo de 20 mil milhões de euros de ajuda ao sector financeiro. As instituições financeiras de Itália são mesmo as que mais impulsionam o índice europeu de referência para o sector. 

 

O Banca Popolare di Milano ganha 3,10% para 38,21 cêntimos, o UBI Banca valoriza 2,38% para 2,668 euros, o Unicredit sobe 2,33% para 2,806 euros e o Mediobanca soma 0,96% para 7,875 euros. Já o Monte dei Paschi, que afundou mais de 11% na sessão de ontem, sobe 1,66% para 18,93 euros.  

 

Na reunião do conselho de ministros de ontem, o Executivo italiano decidiu propor ao parlamento a constituição de um fundo para salvaguardar o sector financeiro num cenário de falhanço do plano de recapitalização do Monte dei Paschi. Segundo o Il Sole 24 Ore, o decreto governamental deverá estar pronto ainda esta semana, entre quinta e sexta-feira.

 

"É uma medida de precaução", disse Paolo Gentiloni na segunda-feira à imprensa, referindo-se ao anúncio do 'pacote' de 20 mil milhões de euros. 

"Acreditamos que é nosso dever tomar esta medida para proteger as poupanças" dos italianos. Espero que todos os grupos parlamentares partilhem esta responsabilidade", disse Gentiloni aos jornalistas, no final do conselho de ministros.

 

O montante proposto é superior ao que vinha sendo falado (15 mil milhões). Porém, este pacote integra 2 mil milhões destinados à activação dos 80 mil milhões de euros de garantias públicas para a emissão de liquidez, um mecanismo que foi autorizado por Bruxelas em Julho passado.

 

A decisão do Governo transalpino surge numa altura em que o Monte dei Paschi di Siena (BMPS), o mais antigo do mundo em actividade, procura captar cinco mil milhões de euros, junto de investidores privados.

 

Se o plano falhar, o Governo terá de avançar com a injecção de fundos públicos, um plano B que já está a ser preparado com a constituição deste fundo que ainda não tem luz verde do parlamento.


O Monte dei Paschi, o terceiro maior banco italiano, perdeu quase 85% da sua capitalização de mercado desde o início do ano, além de ter apresentado o pior desempenho nos testes de stress do Banco Central Europeu (BCE), em Julho.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 semanas


Um governo de ladrões

AS CLASSES SOCIAIS EM PORTUGAL:

1. Burguesia = Patrões

2. Nobreza = Ladrões FP / CGA

3. Povo = Trabalhadores e pensionistas do privado (que são tratados como escravos e roubados para sustentar as 2 classes privilegiadas)

comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas


PS - e seus apoiantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

O CÚMULO DA ASNEIRA.

O SOCRATES GATUNO conseguiu endividar o país até à bancarrota (e o COSTA LADRÃO está a continuar o serviço).

Para onde foi o todo esse dinheiro, se nem sequer pagou as obras que mandou fazer (PPP) ?

Adivinhou: Salários e pensões dos ladrões FP-CGA.

Anónimo Há 4 semanas


Um governo de ladrões

AS CLASSES SOCIAIS EM PORTUGAL:

1. Burguesia = Patrões

2. Nobreza = Ladrões FP / CGA

3. Povo = Trabalhadores e pensionistas do privado (que são tratados como escravos e roubados para sustentar as 2 classes privilegiadas)

pub
pub
pub
pub