Mercados Banco CTT chega aos 200 mil clientes

Banco CTT chega aos 200 mil clientes

O Banco CTT atingiu a marca de 200 mil clientes. Quase nove em cada dez clientes do Banco CTT estão em idade activa.
Banco CTT chega aos 200 mil clientes
Raquel Godinho 27 de julho de 2017 às 07:00

O Banco CTT anunciou, em comunicado, que captou mais de 700 novos clientes por dia, desde o início do ano. Com isso, superou a marca dos 200 mil clientes, pouco mais de um ano depois do início da sua actividade. O banco acredita que estes números se devem à "oferta simples, transparente e competitiva" que tem vindo a desenvolver.

"A proposta de valor do Banco CTT tem-se mostrado igualmente apelativa para todas as faixas etárias, com destaque para a população jovem e em idade activa, que no seu conjunto representam 86% da base de clientes do banco", refere a instituição liderada por Luís Pereira Coutinho.

O banco revelou também os resultados de um inquérito realizado junto a clientes, no passado mês de Junho, e que revelou que 82% dos clientes se manifestaram satisfeitos e recomendam a instituição. A instituição arrancou a sua oferta a 18 de Março de 2016 e conta já com 203 balcões em todo o país.

A sua estratégia comercial assenta, actualmente, numa estratégia de custos zero na manutenção de conta, na anuidade de um cartão de débito e de um cartão de crédito e nas transferências nacionais nos canais digitais. Um posicionamento que contraria os aumentos das comissões protagonizados pela maioria das instituições financeiras nacionais.

"Provámos que era possível criar uma oferta útil, desejada pelas pessoas, e gerar uma relação de confiança como achamos que tem de existir entre clientes e o seu banco. Os CTT, accionista único do Banco CTT, tem um capital de proximidade de quase cinco séculos, que juntos fazemos questão em honrar", conclui Francisco de Lacerda, chairman do Banco CTT, em comunicado.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 27.07.2017

Só estou à espera que chegue Novembro (fim do prazo de um PPR que tenho no NB) para mudar para os CTT. Estou farto de ser roubado!

Anónimo 27.07.2017

É uma ótima solução, sem a "praga" das comissões que hoje em dia os maiores bancos praticam.
Demonstra ainda que nem todos os bancos necessitam de aderir à "cartelização" para terem mercado.
Basta serem competitivos.

pub
pub
pub
pub