Crédito Bancos antecipam aumento da procura por crédito por parte dos particulares

Bancos antecipam aumento da procura por crédito por parte dos particulares

Houve entidades financeiras a notar um aumento da procura por crédito à habitação e ao consumo no segundo trimestre. E a maior parte dos bancos inquiridos pelo Banco de Portugal prevê que essa tendência continue.
Bancos antecipam aumento da procura por crédito por parte dos particulares
Rui Barroso 18 de julho de 2017 às 12:38

A maior parte dos bancos que participaram no inquérito do Banco de Portugal sobre o mercado de crédito antecipa que a procura por empréstimos por parte dos particulares continue a aumentar no terceiro trimestre do ano. Já em relação às políticas de concessão as entidades financeiras não prevêem alterações nos critérios de concessão de crédito a particulares.

Em relação às perspectivas dos bancos sobre a evolução da procura por crédito, o Inquérito aos Bancos sobre o Mercado de Crédito do Banco de Portugal divulgado esta terça-feira, 18 de Julho, refere que para o terceiro trimestre deste ano "três das cinco das instituições inquiridas antecipam um aumento da procura de empréstimos de particulares, tanto no segmento para aquisição de habitação como no segmento para consumo e outros fins".

É uma continuação da tendência registada no segundo trimestre. Nesse período "no segmento dos particulares, duas instituições indicaram um ligeiro aumento da procura de empréstimos, quer para aquisição de habitação, quer para consumo e outros fins, e uma instituição indicou uma evolução semelhante apenas no segmento dos empréstimos para consumo e outros fins".

Juros baixos e aumento da confiança aumentam procura

Os bancos justificaram esta tendência com "o aumento da confiança dos consumidores e, no segmento da habitação, também o nível geral das taxas de juro". Outro dos motivos apontados por uma das entidades que participaram no inquérito foram "as perspectivas sobre o mercado de habitação, incluindo a evolução dos preços", que "terá também tido um impacto positivo na procura".

O inquérito revelou ainda que "nenhuma das instituições antecipa alterações nos critérios de concessão de crédito ao sector privado não financeiro". Isto depois de no segundo trimestre "os termos e condições aplicados nos empréstimos a particulares" terem permanecido "relativamente inalterados".

Apenas um banco "reportou uma ligeira diminuição da restritividade, ao nível das maturidades no caso do crédito para habitação, e reflectida numa ligeira redução dos spreads nos empréstimos de risco médio, no caso do crédito ao consumo", o que foi justificado "pela pressão exercida pela concorrência".

Procura das empresas por crédito estabiliza

Do lado da procura das empresas por crédito, a maior parte das entidades financeiras notou uma estabilização. "Três instituições reportaram uma estabilização na procura de empréstimos por parte das empresas", revela o inquérito. Mas houve dois bancos que notaram um aumento do apetite das empresas por crédito.

"Uma instituição reportou um ligeiro aumento da procura em todos os tipos de empréstimos e outra instituição reportou um aumento da procura, sobretudo nos empréstimos a PME e de maturidades mais longas", notou o Banco de Portugal. Para o terceiro trimestre "apenas uma instituição antecipa um ligeiro aumento da procura de empréstimos por parte de empresas". 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub