Mercados Bancos escutam telefonemas para descobrir os melhores traders

Bancos escutam telefonemas para descobrir os melhores traders

Não importa que o diz, mas sim a forma como o diz. Especialmente se quiser ser contratado para negociar títulos financeiros.
Bancos escutam telefonemas para descobrir os melhores traders
Bloomberg
Bloomberg 10 de dezembro de 2016 às 09:15

A Amplify Trading, empresa sedeada em Londres que oferece serviços de formação a bancos e gestoras de activos como o HSBC e a Invesco, está a introduzir tecnologia de análise de voz para identificar comportamentos associados a uma carreira de sucesso como trader.

 

A forma como os operadores interagem e o que dizem continua no topo da actualidade. As autoridades reguladoras da União Europeia multaram três bancos em 485,5 milhões de euros na quarta-feira, citando também a "linguagem vulgar" supostamente usada nas conversas entre traders.

 

O programa da Amplify dura oito semanas. Nele, os formandos são divididos em dois grupos: traders que vendem activos e gestores de fundos. Os telefonemas entre os dois grupos são analisados para avaliar características individuais. Além de métricas simples, como a duração da chamada e a comissão ganha, o software de análise verbal considera o tom de voz para identificar, por exemplo, se um trader fica agitado ou frustrado com frequência.

 

Os bancos que têm acesso aos dados recolhidos podem depois escolher traders com características específicas.

 

Intuição

 

Com a crescente utilização da negociação eletrónica, o número de profissionais que falam com clientes pelo telefone está a diminuir. No entanto, a Amplify entende que a migração da negociação por voz para a negociação electrónica é uma oportunidade para os talentos se destacarem.

 

"À medida que os processos de negociação de menor dimensão são automatizados, o valor do trader de vendas que consegue manter relações com clientes para conseguir grandes transações em bloco aumenta na mesma proporção", diz Will de Lucy, co-fundador e director da Amplify.

 

Este foco nas características pessoais desses profissionais intensificou-se após um estudo divulgado este ano pela Universidade de Cambridge afirmar que "os sinais corporais – as intuições na tradição financeira" ainda têm impacto significativo nas taxas de sucesso. Os operadores capazes de detectar os seus próprios batimentos cardíacos mostraram-se mais lucrativos no trading.

 

Os métodos da Amplify distanciam-se das ferramentas normalmente usadas pelo sector financeiro, que habitualmente recorre a testes numéricos e de lógica verbal para avaliar candidatos.

 

"Não existe um só tipo de personalidade que faz um trader ter mais sucesso", salienta Steven Goldstein, dono da Alpha R Cubed, que gere perfis comportamentais destes profissionais através de testes psicométricos.

 

Goldstein, que também dá aulas de finanças comportamentais na London School of Economics, afirma que os gestores costumam escolher pessoas que  encaixam na sua estratégia de risco específica. "É habitual ver traders que antes eram bem sucedidos, apresentarem maus resultados quando mudam de empresa. Tal acontece simplesmente porque os seus perfis comportamentais não se adaptam à nova firma", afirmou o professor, que já foi trader do Credit Suisse Group e do Commerzbank.

 

Goldstein reconhece que as características pessoais podem identificar o mercado no qual o trader melhor se vai adaptar. Pessoas pouco emotivas e com pensamento mais lógico geralmente têm sucesso na gestão de carteiras, ou a gerir carteiras de produtos derivados de longo prazo. Já pessoas avessas a risco e que se empolgam facilmente são mais adequadas a mercados à vista, como o cambial.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 10.12.2016

O presidente do euro grupo deu hoje uma entrevista num jornal cujo cabecalho:OS BANCOS CRIARAM O POPULISMO NA EUROPA.Segundo ele:a falta de confianca k existe entre os bancos e quem os fornece(depositantes);a corrupcao dentro do sector;os bonus por eles criados mesmo quando os bancos tiveram pejuizo

Anónimo 10.12.2016

Se o pais nao for capaz de fazer 1 reducao acentuada da bancaria k opera em portugal,vamos por certo assistir a actos de nos deixarem de boca aberta.As pessoas idosas de bem vao ser nas maos destes famintos tal e qual como uma gasela nas garras de um leao.Pessoalmente tive 2 casos recentes chocantes

pub