Taxas de juro BCE avança com nova taxa interbancária após impasse na reforma da Euribor

BCE avança com nova taxa interbancária após impasse na reforma da Euribor

O banco central anunciou que irá, até 2020, criar uma nova taxa de juro de referência que irá complementar a Euribor e a Eonia.
BCE avança com nova taxa interbancária após impasse na reforma da Euribor
Peti Kollanyi/Bloomberg
Rui Barroso 21 de setembro de 2017 às 12:52

Depois dos escândalos de manipulação da crise financeira, os bancos europeus falharam na reforma do cálculo da Euribor. E o BCE decidiu entrar em campo, após ter dito que não iria agir. A entidade liderada por Mario Draghi anunciou que irá, até 2020, começar a divulgar dados de uma nova taxa de juro "overnight" que irá "complementar os índices existente de taxas de juro produzidos pelo sector privado e servirá como um mecanismo de apoio aos índices dos juros do sector privado", refere o BCE num comunicado divulgado esta quinta-feira, 21 de Setembro.

A entrada em campo do BCE surge depois do Instituto Europeu dos Mercados Monetários (EMMI), de que fazem parte as associações bancárias dos países europeus, ter falhado na criação de uma metodologia para o cálculo da Euribor e da Eonia que reflectisse transacções reais efectuadas no mercado.

Actualmente esta taxa é calculada apenas com as taxas de juro indicadas pelos bancos sobre o valor a que estão dispostos a transaccionar fundos entre si, ou seja, baseada em estimativas. Já a nova taxa do banco central "será baseada inteiramente em transacções em euros que são reportadas pelos bancos de acordo com o reporte estatístico de mercado monetário do BCE", refere o comunicado da entidade liderada por Mario Draghi.

O BCE justifica a entrada em campo com "as reformas aprofundadas que os índices de taxa de juro atravessam actualmente". E com a preocupação da importância dessas taxas no sistema financeiro. "O BCE decidiu agir já que as taxas de referência têm um papel importante para ancorar contratos nos mercados financeiros", diz o instituto liderado por Mario Draghi.

Além disso é uma forma de assegurar a transmissão monetária. "A política monetária é transmitida através dos mercados financeiros e as taxas de referência têm um papel essencial na operacionalização e monitorização da transmissão da política monetária do BCE", refere o banco central.

O BCE começará a divulgar aos bancos os detalhes sobre esta nova taxa a partir de 2018. E mostra-se disponível para receber sugestões das entidades financeiras. E explica que o objectivo da publicação regular destes dados "será fortalecer a transparência no mercado e, desta forma, melhorar o funcionamento do mercado monetário".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub