Bolsa BCP afunda 7% e leva PSI-20 a quarto dia negativo

BCP afunda 7% e leva PSI-20 a quarto dia negativo

Os títulos do banco chegaram a cair mais de 8% na sessão desta quinta-feira, na pior perda desde 7 de Fevereiro, encurtando nas últimas quatro sessões a capitalização bolsista em 400 milhões de euros.
A carregar o vídeo ...
Paulo Zacarias Gomes 07 de setembro de 2017 às 16:39
Entre as poucas perdas na Europa e a cair mais de 1%. Foi assim que terminou a sessão da bolsa portuguesa esta quinta-feira, 7 de Setembro, com o BCP a liderar as desvalorizações entre as cotadas. 

Com nove títulos em queda, sete em alta e três inalterados, o PSI-20 encerrou a cair 1,08%, na quarta sessão de descidas que é a maior série de quedas desde 23 de Junho (mais de dois meses).

A liderar as perdas esteve o BCP, que durante a sessão afundou mais de 8% e fechou a cair 7,12% para 0,1995 euros, prolongando as quedas acumuladas ao longo do dia, na pior descida intradiária desde 7 de Fevereiro.

Um tombo que levou o preço por acção para o valor mais baixo desde 28 de Abril (mais de quatro meses). Nas quatro sessões desta semana o balanço foi sempre negativo para as acções do banco liderado por Nuno Amado (na foto), encurtando a capitalização bolsista da instituição em 402 milhões de euros e acumulando uma queda de 12%.

Durante a sessão foram movimentadas 156 milhões de acções, mais do dobro da média diária transaccionada durante os últimos seis meses.

Do lado das quedas também a Pharol, a corrigir dos fortes ganhos de ontem (superiores a 4%, tendo hoje recuado 3,22% para 0,301 euros), tal como as cotadas do papel - Altri e Navigator (cederam 1,59% para 3,646 euros e 1,21% para 3,588 euros).

Já do lado dos ganhos, mas incapazes de virar o sinal menos no PSI-20, estiveram as subidas de pesos-pesados como a Jerónimo Martins (apreciou 0,51% para 16,795 euros), Galp (0,21% para 14,135 euros) e universo EDP (com as acções da casa-mãe a subirem 0,40% para 3,236 euros).

Exteriores ao índice, a Impresa e a Teixeira Duarte protagonizaram os maiores tombos: de 16,67% para 0,225 euros e de 7,31% para 0,241 euros. 

Nas pares europeias, as quedas de Lisboa foram acompanhadas pelos índices da periferia do Sul do euro - Madrid, Milão e Atenas - enquanto Londres, Paris e Frankfurt somaram valor e contribuíram para que o Stoxx 600 avançasse 0,26% para 374,93.

Um balanço positivo apesar de esta ter sido uma sessão em que a moeda única voltou a superar a barreira dos 1,20 euros, após o anúncio pelo presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, de que Outubro será o mês para decidir sobre o calendário de uma possível retirada de estímulos.

O BCE reviu ainda em alta as perspectivas de crescimento para a Zona Euro, mas desceu as da inflação, colocando o valor mais distante do mandato do banco central, de colocar a evolução dos preços num patamar próximo mas inferior a 2%.

"As acções estão a reagir mais à economia do que à apreciação do euro - uma série de companhias conseguirão lidar com o euro a 1,20 dólares. Eu consigo. As acções podem subir a partir daqui, embora o euro se torne uma preocupação maior se evoluir até aos 1,25 dólares," disse à Bloomberg Simon Wiersma, do ING Bank.

(Notícia actualizada às 17:10 com mais informação)



A sua opinião60
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Lampião 07.09.2017

massa bruta é o maior catedrático de bolsa de todos os tempos que passou aqui pelo jornal de negocios
pena ele comente pouco
ele disse para termos cuidado. alguns riram-se e não acreditaram, talvez os gananciosos.
massinha é uma excelente pessoa, mais que guru da bolsa nacional.
- e não começou a guerra
- nem arrebentou ainda a bolha nos Eua

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

ADORO VER BANCOS A AFUNDAR. ODEIO BANCOS. SÃO A MAIOR CORJA DE GATUNOS QUE PORTUGAL JÁ TEVE E TEM.

BCP a descer MAS PORQUÊ Há 1 semana


SE PARA A SEMANA VÃO SUBIR OUTRA VEZ OS RATINGS DO MILENIUM BCP E DE PORTUGAL isto é tudo gente doida PÕE - SE a vender SEM PENSAR

Psiquiatra 07.09.2017

Avisam-se todos os frequentadores deste forum que há um sujeito que se diz SOCIALISTA utilizando vários nicks, tais como Massa Bruta, Ranhoso, Fanhoso, Da Boina, Rosa Pereira, Tavares, Maria Amélia, escroto, investidor, olx, Tomas, Carp Diem, h, Cipião, Hx400, g, supositório, Gaspacho, Madalena, PATOLAS, lampião e outros, que padece de grave desequilíbrio mental gostando de insultar pessoas, UTILIZAR NICKS DE OUTROS, entre os quais o do Criador de Touros, do Lusa Atenas e o meu, Psiquiatra. Quando ele ler este comentário irá apagá-lo, pois recusa retratar-se e tratar os outros com respeito. Tenham paciência com ele pois é muito BRUTINHO.

E o culpado disto é? 07.09.2017

O AMADO COM CERTEZA. Sucessivos aumentos de capital, "reverse stock split" com a promessa de cotar acima de 1 euro enganando os accionistas com o resultado que está há vista e promessa de dividendos, claro que se pôs a jeito dos abutres vampirosos que são os "short-selling".

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub