Bolsa BCP afunda e determina abertura negativa da bolsa

BCP afunda e determina abertura negativa da bolsa

As acções do Banco Comercial Português estão a afundar e a penalizar assim o comportamento da Bolsa de Lisboa. Ao contrário da praça nacional, a maioria dos índices europeus estão com sinal mais.
BCP afunda e determina abertura negativa da bolsa
Reuters
Ana Laranjeiro 10 de janeiro de 2017 às 08:10

A bolsa de Lisboa arrancou a sessão em terreno negativo penalizada sobretudo pela forte queda dos títulos dos Banco Comercial Português (BCP). O PSI-20 desce 0,32% para 4.662,08 pontos, com oito cotadas em queda, cinco em alta e cinco inalteradas. Entre as restantes praças europeias o sentimento é para já de ganhos.  

Por cá, destaque pela negativa para as acções do BCP que descem 12,03% para 91,59 cêntimos – tendo já perdido descer 13,56% para 0,90 euros, um novo mínimo histórico e que compara com a cotação de fecho de ontem, nos 1,0412 euros.

Este comportamento das acções do banco liderado por Nuno Amado tem lugar depois anúncio efectuado ontem, de que o banco vai emitir novas acções para encaixar 1,33 mil milhões de euros, de forma a devolver a ajuda estatal e reforçar os rácios de capital.

Ainda neste sector, o BPI arrancou inalterado nos 1,128 euros. Ontem o CaixaBI emitiu uma nota onde revê o preço-alvo e a recomendação do banco. O Montepio está também inalterado mas nos 41,6 cêntimos.

No sector energético, a Galp sobe 0,35% para 14,225 euros, isto numa altura em que os preços do petróleo estão a subir nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, soma 0,18% para 55,04 dólares por barril.

A EDP soma 0,18% para 2,799 euros e a EDP Renováveis cresce 0,47% para 5,986 euros. A REN, por outro lado, desce 0,30% para 2,635 euros.

No retalho, a Jerónimo Martins, a primeira cotada portuguesa a revelar alguns dados do último trimestre de 2016, valoriza 0,28% para 16,035 euros. As vendas preliminares serão conhecidas no próximo dia 12, quinta-feira, mas são já várias as casas de investimento que divulgaram as suas apostas. A análise é unânime: os últimos três meses do ano foram "fortes" para a retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos.

A Sonae desce 0,58% para 85,1 cêntimos.


(Notícia actualizada pela última vez às 08:21)


A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Ramos 10.01.2017

Como Estreante neste site, permitam-me sugerir 3 bons investimentos para este novo ano:
NAVIGATOR (Ex-Portucel)(a curto prazo ,acima de 4,70 euros)
COFINA (a curto prazo acima de 50 cêntimos)
IMPRESA (a curto prazo acima de 35 cêntimos)
Bons Negócios, pessoal!

comentários mais recentes
Anónimo 10.01.2017

CTT A LEVAREM LIPADA DA GROSSA. ATÉ PARECE QUE PRECISAM DE UM AUMENTO DE CAPITAL. ENFIM...

Ramos 10.01.2017

Porque não sobe a COFINA? Alguém me pode explicar?

Ramos 10.01.2017

Como Estreante neste site, permitam-me sugerir 3 bons investimentos para este novo ano:
NAVIGATOR (Ex-Portucel)(a curto prazo ,acima de 4,70 euros)
COFINA (a curto prazo acima de 50 cêntimos)
IMPRESA (a curto prazo acima de 35 cêntimos)
Bons Negócios, pessoal!

Sarapitolas 10.01.2017

ZACARIAS já na sexta feira dizias que a Navigator ia subia bem na 2feira lembras-te?
Queres e render o teu peixe mas isto está mau rapaz.

ver mais comentários
pub