Bolsa BCP afunda e determina abertura negativa da bolsa

BCP afunda e determina abertura negativa da bolsa

As acções do Banco Comercial Português estão a afundar e a penalizar assim o comportamento da Bolsa de Lisboa. Ao contrário da praça nacional, a maioria dos índices europeus estão com sinal mais.
BCP afunda e determina abertura negativa da bolsa
Reuters
Ana Laranjeiro 10 de janeiro de 2017 às 08:10

A bolsa de Lisboa arrancou a sessão em terreno negativo penalizada sobretudo pela forte queda dos títulos dos Banco Comercial Português (BCP). O PSI-20 desce 0,32% para 4.662,08 pontos, com oito cotadas em queda, cinco em alta e cinco inalteradas. Entre as restantes praças europeias o sentimento é para já de ganhos.  

Por cá, destaque pela negativa para as acções do BCP que descem 12,03% para 91,59 cêntimos – tendo já perdido descer 13,56% para 0,90 euros, um novo mínimo histórico e que compara com a cotação de fecho de ontem, nos 1,0412 euros.

Este comportamento das acções do banco liderado por Nuno Amado tem lugar depois anúncio efectuado ontem, de que o banco vai emitir novas acções para encaixar 1,33 mil milhões de euros, de forma a devolver a ajuda estatal e reforçar os rácios de capital.

Ainda neste sector, o BPI arrancou inalterado nos 1,128 euros. Ontem o CaixaBI emitiu uma nota onde revê o preço-alvo e a recomendação do banco. O Montepio está também inalterado mas nos 41,6 cêntimos.

No sector energético, a Galp sobe 0,35% para 14,225 euros, isto numa altura em que os preços do petróleo estão a subir nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, soma 0,18% para 55,04 dólares por barril.

A EDP soma 0,18% para 2,799 euros e a EDP Renováveis cresce 0,47% para 5,986 euros. A REN, por outro lado, desce 0,30% para 2,635 euros.

No retalho, a Jerónimo Martins, a primeira cotada portuguesa a revelar alguns dados do último trimestre de 2016, valoriza 0,28% para 16,035 euros. As vendas preliminares serão conhecidas no próximo dia 12, quinta-feira, mas são já várias as casas de investimento que divulgaram as suas apostas. A análise é unânime: os últimos três meses do ano foram "fortes" para a retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos.

A Sonae desce 0,58% para 85,1 cêntimos.


(Notícia actualizada pela última vez às 08:21)




A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Ramos Há 1 semana

Como Estreante neste site, permitam-me sugerir 3 bons investimentos para este novo ano:
NAVIGATOR (Ex-Portucel)(a curto prazo ,acima de 4,70 euros)
COFINA (a curto prazo acima de 50 cêntimos)
IMPRESA (a curto prazo acima de 35 cêntimos)
Bons Negócios, pessoal!

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

CTT A LEVAREM LIPADA DA GROSSA. ATÉ PARECE QUE PRECISAM DE UM AUMENTO DE CAPITAL. ENFIM...

Ramos Há 1 semana

Porque não sobe a COFINA? Alguém me pode explicar?

Ramos Há 1 semana

Como Estreante neste site, permitam-me sugerir 3 bons investimentos para este novo ano:
NAVIGATOR (Ex-Portucel)(a curto prazo ,acima de 4,70 euros)
COFINA (a curto prazo acima de 50 cêntimos)
IMPRESA (a curto prazo acima de 35 cêntimos)
Bons Negócios, pessoal!

Sarapitolas Há 1 semana

ZACARIAS já na sexta feira dizias que a Navigator ia subia bem na 2feira lembras-te?
Queres e render o teu peixe mas isto está mau rapaz.

ver mais comentários
pub