Bolsa BCP cai mais de 2% e arrasta bolsa

BCP cai mais de 2% e arrasta bolsa

A bolsa nacional terminou a sessão a cair, com o BCP a perder mais de 2% e o grupo EDP a pesar na negociação.
A carregar o vídeo ...
Sara Antunes 08 de maio de 2017 às 16:44

O PSI-20 terminou o dia a cair 0,42% para 5.232,50 pontos, com nove cotadas em queda, oito em alta e duas inalteradas. A bolsa ainda iniciou a sessão em alta, tendo inclusivamente atingido novos máximos de 2016, mas acabou por inverter a tendência ao longo da sessão e fechou em queda à semelhança do que aconteceu no resto das praças europeias.

 

Os investidores acordaram esta segunda-feira, 8 de Maio, algo aliviadas por Emmanuel Macron ter vencido a segunda volta das eleições presidenciais de França, derrotando Marine Le Pen. Ainda assim, o impacto desta vitória já tinha sido descontado nas bolsas, que têm negociado em máximos de, pelo menos, 2015. Agora seguem-se as eleições legislativas, com os investidores a aguardarem para tentarem perceber o quadro político em França.

A pesar na negociação estiveram as acções do BCP, ao caírem 2,35% para 0,2246 euros, antes de apresentar esta segunda-feira, 8 de Maio, os resultados do primeiro trimestre. A média das estimativas de nove analistas aponta para que o banco liderado por Nuno Amado tenha fechado o primeiro trimestre com um resultado líquido de 42 milhões de euros, o que compara com os 46,7 milhões de euros registados no mesmo período do ano passado.

A contribuir para as quedas estiveram também as acções do grupo EDP, com a eléctrica a cair 0,74% para 3,231 euros e a EDP Renováveis a ceder 0,46% para 6,99 euros. Na sexta-feira foi divulgada uma multa conjunta no valor de 38,3 milhões à EDP e Sonae devido a um pacto de não-concorrência na energia. O Haitong considera que esta coima terá um impacto neutal.

 

As acções da Sonae SGPS fecharam a cair 0,52% para 0,963 euros, no dia em que o Haitong emitiu uma nota onde prevê uma queda de 87% para 4,0 milhões de euros da empresa, naquele que é "tradicionalmente o trimestre mais fraco da Sonae devido a vendas mais baixas na maioria dos formatos". Ainda assim, o EBITDA terá melhorado em 6%.

As acções da Altri fecharam a subir 1,64% para 4,40 euros, depois de na sexta-feira, 5 de Maio, ter revelado, após o fecho do mercado, que os seus lucros no primeiro trimestre do ano caíram 32% para 17,12 milhões de euros.

 

Ainda no sector do papel, a Semapa subiu 0,55% para 14,675 euros, depois de ter chegado a tocar no valor mais elevado de sempre, ao negociar nos 14,77 euros. A Navigator também tocou em máximos de Maio de 2015 ao negociar nos 4,05 euros. No final da sessão, as acções da papeleira terminaram a subir 1,01% para 3,99 euros.

 

Já a Cofina, liderada por Paulo Fernandes e dona do Negócios, revelou na sexta-feira uma descida de 35,4% dos lucros no trimestre para 648 mil euros. As acções da empresa de media terminaram a subir 0,67% para 16,97 euros. 

Em forte queda terminou a Corticeira Amorim, ao perder 3,27% para 11,225 euros, depois de na semana passada ter chegado a tocado em máximos históricos. 

(Notícia actualizada às 16:51 com mais informação)


A sua opinião13
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Criador de Touros Há 2 semanas

O Jornal Económico tem um bom artigo/resultados BCP. Poderá haver Fosun e fundos nos próximos dias a entrar.

Criador de Touros Há 2 semanas

Há uma gralha na segunda referência aos 99%, mas que está explicada na primeira referência que lhe fiz.

Criador de Touros Há 2 semanas

Pelo que vi nos resultados do BCP, que todos concordam que são acima do esperado, as perspectivas de investimento de médio/longo prazo são boas.Com boa qualidade de cobertura de crédito, 99%, e com um valor contabilístico baixo, quando comparado com os seus pares do sul da Europa, rácios de capital CET1 passaram de 9.7% para 11.2%,a margem financeira subiu em relação ao período homologo 13.7%, para 332.3 milhões de euros. Não fora a ligeira subida das imparidades, seria perfeito, mas a qualidade de cobertura do é de 99%, segundo o presidente Nuno Amado, considero-me bastante satisfeito e estou no BCP a longo prazo. Casa arrumada é outra louça. Está quase em ponto de rebuçado, mas quando estiver, será muito tarde para se entrar. Agora é que é a altura e bem está quem entrou a preços baixos, que não é o meu caso, mas não me queixo.

Vitor Há 2 semanas

Um resumo sobre a Bolsa e não fala do valor dos CTT?

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub