Bolsa BCP com maior queda em quatro meses após resultados

BCP com maior queda em quatro meses após resultados

Apesar de a generalidade dos analistas ter visto com bons olhos o lucro de 89,9 milhões de euros registado pelo BCP no primeiro semestre, o banco caiu mais de 4,5% nesta sexta-feira, a maior queda diária em quase quatro meses.
BCP com maior queda em quatro meses após resultados
Bruno Simão/Negócios
David Santiago 28 de julho de 2017 às 16:51

O BCP fechou a sessão bolsista desta sexta-feira, 28 de Julho, a perder 4,67% para 24,11 cêntimos, a maior queda diária desde que, em 4 de Abril último, o banco liderado por Nuno Amado recuou 4,73%. Os 24,11 cêntimos em que os títulos accionistas do banco negociaram representam o valor mais baixo por acção desde 11 de Julho.

 

Esta foi uma sessão de forte liquidez para as acções do BCP, que viu mais de 128,4 milhões de títulos trocarem de mãos, valor que compara com a média diária dos últimos seis meses que se fixa em pouco mais de 85 milhões.

 

Desde o início deste ano o BCP acumula uma valorização em bolsa de 31,25%, com o banco a deter nesta altura uma capitalização bolsista de praticamente 3,66 mil milhões de euros.

 

A prestação do BCP nesta sexta-feira acontece depois de ontem o maior banco privado português ter apresentado resultados referentes ao primeiro semestre, período em que obteve lucros de 89,9 milhões de euros, um resultado que compara com o prejuízo de 197,3 milhões registado em igual período do ano passado.

 

Este resultado superou as estimativas dos analistas do CaixaBI que antecipavam lucros de apenas 73 milhões de euros. Para esta casa de investimento, estes resultados confirmam as "tendências positivas nas principais variáveis""Ainda que continuando a apresentar um baixo nível de rentabilidade é nosso entendimento que o BCP divulgou um conjunto de resultados positivo", sustentou o analista André Rodrigues.

 

Já o JP Morgan mostrou-se positivamente surpreendido pelo resultado da instituição financeira, o que levou o banco norte-americano a subir tanto o preço-alvo como a recomendação atribuída às acções do BCP.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




pub