Bolsa BCP, CTT e EDP sustentam ganhos na bolsa de Lisboa

BCP, CTT e EDP sustentam ganhos na bolsa de Lisboa

A praça portuguesa acompanhou o regresso das pares europeias à tendência de ganhos, com os investidores a darem mostras de menor nervosismo em relação à tensão Estados Unidos-Coreia do Norte que conduziu as acções do Velho Continente a mínimos de cinco meses.
BCP, CTT e EDP sustentam ganhos na bolsa de Lisboa
Bruno Simão/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 14 de agosto de 2017 às 16:39
Foi de recuperação a sessão desta segunda-feira, 14 de Agosto, tanto para as acções nacionais como para os títulos cotados nas restantes praças da Europa, à medida que se dissipa a aversão ao risco criada por causa da tensão entre os EUA e a Coreia do Norte.

A bolsa nacional fechou o dia a ganhar mais de 1%, com praticamente todos os títulos do lado dos ganhos, em particular o BCP, os CTT e a EDP. O PSI-20 somou 1,29% para 5.268,59 pontos, tendo o banco liderado por Nuno Amado avançado 3,62% para 0,2404 euros, naquele que foi o maior ganho num mês.

A empresa postal apreciou 1,97% para 5,446 euros enquanto a eléctrica somou 1,35% para 3,155 euros.

O maior salto entre as constituintes do índice coube à Pharol, que disparou 5,96% para 0,32 euros a recuperar das quedas da semana passada motivadas pelo aprofundar dos prejuízos da Oi no Brasil, de que a companhia portuguesa sucessora da Portugal Telecom é a maior accionista.

Em dia de arranque da OPA, o Montepio - que chegou a cotar num máximo de 1,035 euros ao longo desta segunda-feira - fechou inalterado, com cada unidade de participação a valer 1 euro.

No resto das bolsas europeias foi o regresso a sinal verde depois de três sessões consecutivas de queda, que chegaram a levar o índice Stoxx 600 a mínimos de 9 de Março (cinco meses) no final da semana passada devido à guerra de palavras em crescendo entre Pyongyang e Washington que sugeriam a iminência de um conflito bélico.

Entre os títulos do Velho Continente, os ganhos são liderados pelas empresas das utilities, imobiliárias e sector financeiro, enquanto Madrid e Frankfurt foram as praças que se destacaram com as maiores apreciações.

A evidenciarem-se nas bolsas europeias estiveram os papéis da automóvel Fiat, que dispararam mais de 8% depois de alegadamente a empresa ter rejeitado uma oferta de compra por parte de uma firma chinesa por um valor considerado demasiado baixo. Na praça vizinha, Madrid, destaque para o Sabadell, que ganhou mais de 3,5%.

O sentimento positivo estende-se igualmente às praças norte-americanas, com ganhos entre os 0,7% e os 1,22%, depois de vários responsáveis norte-americanos terem relativizado no domingo a possibilidade de uma guerra iminente entre a Coreia do Norte e os EUA.

"Parece que poderão estar a reduzir-se as tensões entre a Coreia do Norte e os EUA que pesaram nos mercados na semana passada", disse à Reuters o analista Kim Forrest, da Fort Pitt Capital Group.

(Notícia actualizada às 16:50 com mais informação)



A sua opinião41
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 15.08.2017

desde inicio ano com investimento 40.000 ganhei cerca 18.000 com BCP. NÃO É BOM? ESTA GESTÃO AINDA ME VAI DAR MAIS DO DOBRO DE GANHOS.

jack 15.08.2017

Cuidado
Em breve ,oferta Santander sobre BCP.

Criador de Touros 14.08.2017

Estamos a viver os momentos de descompressão do problema dos esquerdistas norte-Coreanos, muita gente aproveita para comprar ou reforçar, muitos regressados de férias. Gostei do comportamento do BCP nestes dias críticos.

Criador de Touros 14.08.2017

Os que insultam têm aquela última palavra dos Lusíadas...Para quem não sabe, a última palavra dos Lusíadas é a palavra inveja. Há muita em Portugal e não só. Não se esqueçam que amanhã é Dia da Assunção de Nossa Senhora ao Céu. A tradição católica diz que a Assunção de Nossa Senhora ao Céu foi feita em corpo e alma.É feriado, mas mais que isso é dia de missa : meditar no evangelho, nas sagradas escrituras. O evangelho só transmite a palavra de Nosso Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus feito Homem.Não conheço melhor livro e mais inspirador do que os evangelhos/Novo Testamento, depois vem o Antigo Testamento e depois os Lusíadas. E a seguir os Sermões de Santo António. Depois, o Organon de Aristóteles.

ver mais comentários
pub