Bolsa BCP, CTT e Galp dão queda a Lisboa em contraciclo com Europa

BCP, CTT e Galp dão queda a Lisboa em contraciclo com Europa

As valorizações do universo EDP, do sector do retalho e do BPI – que hoje vê concluída a OPA do CaixaBank – não foram suficientes para compensar as quedas do BCP, que registava duas sessões consecutivas de ganhos.
Paulo Zacarias Gomes 07 de fevereiro de 2017 às 16:42

A praça portuguesa encerrou esta terça-feira, 7 de Fevereiro, em queda pela segunda sessão consecutiva, penalizada pelo forte tombo do BCP e em contraciclo com os ganhos na maioria das pares europeias, impulsionadas por resultados de cotadas da área tecnológica e alimentar e apesar dos receios com a situação política em França.

O PSI-20 encerrou a cair 0,74% para 4.563,21 pontos, com 10 títulos em terreno positivo, sete com ganhos e um inalterado.

O banco liderado por Nuno Amado, a dois dias de começarem a negociar as novas acções resultantes do aumento de capital de 1.332 milhões de euros, liderou as perdas, a afundar 9,46% para 0,157 euros e a corrigir dos ganhos das últimas duas sessões, em parte impulsionados pela forte procura no reforço de capital.

Em sentido contrário, e no dia em que termina a oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelos catalães do CaixaBank, os títulos do BPI terminaram a ganhar 1,63% para 1.124 euros, abaixo dos 1,134 euros por acção oferecidos pelo comprador. Esta terça-feira o maior accionista português, o grupo Violas, anunciou que vendeu a maior parte da sua participação de 2,681%, passando a manter uma posição residual. Amanhã são conhecidos os resultados da OPA.

Um comportamento misto em Lisboa quando o sentimento entre os títulos europeus do sector financeiro foi de quedas generalizadas, precipitadas pelas perdas superiores a 4% do BNP Paribas, depois de o banco francês ter apresentado resultados pior que o estimado pelos analistas e de ter apresentado um plano de reestruturação.

A condicionar a praça portuguesa estiveram ainda os recuos dos CTT – caiu 1,6% para 4,92 euros, um novo mínimo histórico de fecho – depois de ontem se saber que a Blackrock reduziu a sua presença no capital da empresa postal e de nos últimos dias a empresa ter revisto em baixa a evolução do EBITDA para 2016.

Também a pesar pela negativa estiveram os títulos da Galp (cederam 1,19% para 13,67 euros), no dia em que os preços do petróleo caem mais de 1% nos mercados internacionais e em que se soube que a energética portuguesa começou os estudos sísmicos com a norte-americana Kosmos Energy para procurar petróleo em quatro blocos em São Tomé e Príncipe.

Do lado dos ganhos destacou-se a Pharol, que encerrou a ganhar 6,19% para 0,309 euros, máximo de mais de um ano, reflectindo a evolução da Oi na bolsa brasileira – de que é accionista de referência – e a somar valor pela nona sessão na expectativa de um desfecho positivo para o processo de recuperação judicial em curso na operadora.

A Navigator, que esta quinta-feira apresenta resultados anuais, encerrou a ganhar 1,44% para os 3,462 euros. O CaixaBI antecipa uma quebra de 13,8% nos lucros da papeleira no último trimestre do ano passado.

Madrid e Paris transaccionam em queda, com a praça francesa a ser influenciada pelos recuos do BNP Paribas e da incerteza em torno do resultado das eleições de Abril, em que a líder da extrema-direita Marine Le Pen, anti-euro e anti-União Europeia, segue à frente nas sondagens e com a reafirmação de François Fillon na corrida eleitoral, depois de suspeitas de favorecimento de familiares.




A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Sarapitolas Há 2 semanas

Boas
Eu avisei-os ontem
Lembram-se??
Pharol..
Comunicações..
Vocês metem-se em bancos, papeleiras,
Eu..
Ganhei 6%
Boa noite

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Os CTT precisa de gestão com plano restruturação a começar pelos Açores, reduzir responsáveis, mudar rápido. Para juntar CDP, passa chefias para distribuição com isso diminui contratação, nomear nova directora comercial, para estancar más noticias comunicação social, é directora sem iniciativa

Anónimo Há 2 semanas

Regressou o anormal do Curoka e logo com perguntas tontas e carregada de falta de respeito. Vá-se tratar!

SARAPITILHAS Há 2 semanas

Ó SARAPITILHAS, NÃO FALES DAS PAPELEIRAS QUE AINDA TE VAIS ARREPENDER, A PHAROL É UMA AÇÃO COMO A S MOTAS ENGILES , QUANDO CAEEM É A PIQUE, ESPERA PARA VERES, A NAVIGATOR VAI TOCAR NOS 4.00 EUROS AINDA ESTE MÊS,

Anónimo Há 2 semanas

A impresa,cofina, inapa,glint,pharol t.duarte,sonae ind,bcp. bpi e ctt não falta muito para irem todas pelo cano de esgoto abaixo, é tudo lixo, mas que não pode ser reciclado*****O melhor é enterrar esse lixo bastante fundo para não deteriorar mais o PSI e PSI GERAL

ver mais comentários
pub