Bolsa BCP e CTT garantem terceira sessão de ganhos ao PSI-20

BCP e CTT garantem terceira sessão de ganhos ao PSI-20

A bolsa nacional chegou a negociar em máximos de um mês e meio, num dia pessimista para a generalidade das praças europeias.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 19 de dezembro de 2017 às 16:49

A bolsa nacional encerrou em alta esta terça-feira, 19 de Dezembro, pela terceira sessão consecutiva, animada pelo desempenho do BCP e dos CTT. Com sete cotadas em alta, dez em queda e uma inalterada, o PSI-20 subiu 0,04% para 5.431,01 pontos, depois de ter chegado a negociar em máximo de um mês e meio durante a sessão.

 

Na Europa, a maioria dos índices está em terreno negativo, numa altura em que todos os sectores seguem com sinal vermelho, à excepção do das viagens.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desce 0,42% para 391,01 pontos, aliviando da subida superior a 1% registada na sessão de ontem. Apesar da descida, o índice europeu chegou a negociar hoje no valor mais alto desde 9 de Novembro.

 

Em Lisboa, o BCP foi a cotada que mais impulsionou, com uma subida de 1,58% para 26,95 cêntimos. Durante a sessão, porém, os títulos tocaram em máximos de 1 de Agosto do ano passado, o que acontece numa altura de grande visibilidade para o BCP que assumiu a posição de cotada com maior peso no PSI-20.

 

Já os CTT valorizaram 2,34% para 22,5 cêntimos. 

Do lado dos ganhos ficaram também a REN, a Sonae Capital e a Sonae. A retalhista liderada por Paulo Azevedo somou 0,34% para 1,173 euros, enquanto a Sonae Capital valorizou 1,59% para 89,4 cêntimos, a beneficiar da melhoria do preço-alvo e da recomendação por parte do CaixaBI.

 

Já a REN subiu 0,78% para 2,462 euros, um dia depois de ter noticiado que Manuel Sebastião adquiriu 20.959 acções da REN, empresa onde é administrador, passando a ter em carteira 30 mil acções da cotada.

 

Ainda na energia, a EDP desceu 0,17% para 2,925 euros, a EDP Renováveis caiu 0,48% para 6,832 euros e a Galp Energia deslizou 0,10% para 15,61 euros.

 

As maiores descidas foram protagonizadas, porém, pela Nos, Semapa e pela Corticeira Amorim.

 

A operadora liderada por Miguel Almeida recuou 1,9% para 5,522 euros, penalizada pela revisão em baixa do preço-alvo e recomendação por parte do Morgan Stanley. A Semapa desceu 1,40% para 17,95 euros e a Corticeira Amorim perdeu 1,11% para 11,175 euros. 


(Notícia actualizada às 16:58)