Bolsa BCP e JM garantem ganhos do PSI-20 na última sessão de 2016

BCP e JM garantem ganhos do PSI-20 na última sessão de 2016

A bolsa nacional fechou a última sessão do ano com sinal verde, em linha com as principais praças europeias. O BCP a subir 2% e a Jerónimo Martins quase 1,5% foram as empresas que sustentaram os ganhos.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 30 de dezembro de 2016 às 16:46

A bolsa nacional encerrou em alta esta sexta-feira, 30 de Dezembro, pela segunda sessão consecutiva, com o PSI-20 a ganhar 0,23% para 4.679,20 pontos. Naquela que foi a última sessão de 2016, dez cotadas fecharam em alta, sete em queda e uma inalterada. A valorização de hoje elava para 5,04% o ganho acumulado desde o início de Dezembro, depois de o índice nacional ter caído 4,24% no mês anterior. 

Lisboa acompanhou a tendência positiva das principais praças europeias que estão a ser impulsionadas pelas empresas do sector imobiliário e seguradoras. O londrino Footsie, que fechou a sessão mais cedo, esta sexta-feira, atingiu mesmo um novo máximo histórico.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,31% para 361,36 pontos, ainda que se prepare para completar a primeira descida anual desde 2011.

No plano nacional, o BCP e a Jerónimo Martins foram as cotadas que mais impulsionaram o PSI-20. O banco liderado por Nuno Amado valorizou 2% para 1,071 euros, a recuperar dos mínimos históricos atingidos na sessão de ontem. Depois de duas sessões de fortes quedas, os títulos do BCP atingiram esta quinta-feira o valor mais baixo de sempre, em 1,02 euros.

Um mínimo histórico atingiram também as acções do fundo de Montepio, em 41,9 cêntimos na sessão de hoje. Ainda assim, encerraram inalteradas a valer 42,1 cêntimos. Ainda na banca, o BPI subiu 0,27% para 1,131 euros.

A Jerónimo Martins ganhou 1,38% para 14,74 euros, numa sessão em que a sua congénere do retalho, a Sonae, somou 0,46% para 87,4 cêntimos. 

A contribuir para a subida do principal índice nacional esteve ainda a EDP Renováveis, com uma valorização de 1,55% para 6,036 euros, e a REN, com um avanço de 0,37% para 2,698 euros. As empresas contrariaram, desta forma, a tendência negativa do restante sector, onde a Galp Energia perdeu 0,11% para 14,19 euros e a EDP deslizou 1,06% para 2,894 euros. 

(Notícia actualizada às 16:59 )


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub