Bolsa BCP e papel arrastam bolsa nacional

BCP e papel arrastam bolsa nacional

A bolsa nacional não resistiu às quedas que pautaram a sessão no resto da Europa e nos EUA e terminou o dia a descer. Os principais responsáveis foram o BCP, que cedeu mais de 3%, e o sector do papel. Destaque ainda para a Pharol, que deslizou mais de 4,5%.
A carregar o vídeo ...
Sara Antunes 05 de setembro de 2017 às 16:42
O PSI-20, que esteve a maior parte da sessão em terreno positivo, terminou o dia em queda, arrastado por um sentimento negativo que imperou no resto da Europa e que se acentuou depois da abertura das bolsas americanas, numa altura em que os receios em torno de um conflito militar entre EUA e Coreia do Norte continuam a marcar o passo nos mercados. 

O principal índice bolsista nacional cedeu 0,53% para 5.136,00, com nove acções em queda, oito em alta e duas inalteradas. Já o Stoxx600 cede 0,15%. Nos EUA, o S&P500 cai 0,59%. 

Na praça lisboeta, destaque para o BCP, que depreciou 3,54% para 0,2151 euros, num dia em que todas as acções da banca que compõem o índice europeu Dow Jones para o sector desceram. 

Mas não foi apenas o banco liderado por Nuno Amado que se destacou. O sector do papel também foi determinante para a queda da bolsa nacional. A Navigator, ex-Portucel, caiu 1,44% para 3,561 euros, a Semapa depreciou 1,11% para 15,19 euros e a Altri desvalorizou 1,56% para 3,651 euros.

Já a Pharol depreciou 4,78% para 0,299 euros.

Do lado oposto, esteve a Galp Energia, que subiu 1,03% para 14,195 euros, numa altura em que os preços do petróleo registaram fortes ganhos. O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, sobe 2,06% para 53,42 dólares, isto numa altura em que as refinarias americanas, situadas no Golfo, começam a recuperar da devastação provocada pelo furacão Harvey. 

Ainda assim, para o resto do sector energético a sessão acabou por ser positiva, com a EDP a apreciar 0,06% para 3,256 euros e a EDP Renováveis a crescer 0,04% para 6,901 euros.



pub