Bolsa BCP e sector da energia levam PSI-20 para terreno negativo

BCP e sector da energia levam PSI-20 para terreno negativo

A bolsa nacional inverteu para terreno de perdas, numa altura em que as praças europeias estão divididas entre ganhos e quedas pouco acentuadas. Por cá, são a Jerónimo Martins e a Pharol que evitam maiores recuos.
BCP e sector da energia levam PSI-20 para terreno negativo
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 16 de Novembro de 2016 às 11:38

Depois de um início de sessão em alta, a bolsa nacional já inverteu para terreno negativo, penalizada pelo BCP, EDP e Galp Energia. Nesta altura, o PSI-20 desce 0,51% para 4.381,50 pontos, com 12 cotadas em queda, quatro em alta e duas inalteradas.

O principal índice nacional volta, assim, para terreno negativo depois de ter interrompido ontem uma série de quatro sessões consecutivas de perdas.

Na Europa, os mercados bolsistas dividem-se entre ganhos e perdas pouco acentuadas, com a descida do sector químico a ser compensada pela subida das empresas do sector dos media e da tecnologia.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,17% para 339,74 pontos, seguindo com sinal verde pela terceira sessão consecutiva.

Na bolsa nacional, o BCP desvaloriza 1,45% para 1,247 euros, depois de quatro sessões consecutivas de fortes ganhos. Ainda na banca, o BPI sobe 0,09% para 1,129 euros e o fundo do Montepio negoceia inalterado em 43,3 cêntimos.

No sector da energia – um dos que mais contribui para a queda da bolsa de Lisboa – a EDP desliza 1,12% para 2,655 euros, a EDP Renováveis recua 0,17% para 5,90 euros e a Galp Energia desvaloriza 1,16% para 11,89 euros, numa altura em que o petróleo está a corrigir dos fortes ganhos da sessão de ontem. Depois de ter disparado mais de 5% na terça-feira, a matéria-prima cai 0,87%, em Londres, para negociar nos 46,54 dólares por barril.

A pressionar o PSI-20 estão ainda a Semapa e a Nos. A operadora desliza 0,99% para 5,515 euros enquanto a Semapa desce 1,67% para 11,45 euros.

Por outro lado, a evitar uma maior desvalorização do índice nacional estão a Jerónimo Martins e a Pharol. A retalhista soma 0,44% para 14,86 euros enquanto a antiga PT SGPS dispara 4,86% para 19,4 cêntimos, depois de ter acumulado uma desvalorização de 25,4% nas últimas sete sessões, devido à incerteza em torno da situação financeira da brasileira Oi, sua participada. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Desde quando é que bcp (nuno mamado) fez alguma coisa de positivo?Nem bolsa nem outras coisas mais.À volta do bcp tudo é negativo.E ainda apareceu o nome deste senhor, embora em ultimo, para administrar a cgd, mas será que os nossos governantes não tem olhos na cara?

pub