Bolsa BCP, Galp e Navigator levam bolsa a seguir ganhos europeus

BCP, Galp e Navigator levam bolsa a seguir ganhos europeus

As praças europeias foram animadas por diversas operações de fusões e aquisições, que levaram o Stoxx 600 a máximos de Janeiro.
A carregar o vídeo ...
Nuno Carregueiro 20 de dezembro de 2016 às 16:46

A bolsa nacional fechou em terreno positivo, em linha com as praças europeias, numa sessão em que o índice nacional foi impulsionado pela generalidade das acções, com destaque para o BCP, Galp e Navigator.

 

O PSI-20 avançou 0,82% para 4.658,1 pontos, com 11 cotadas em alta, cinco em baixa e duas sem variação.

 

Na Europa a sessão também foi de ganhos, com o Stoxx600 a valorizar 0,46% para 361,24 pontos. O índice de referência na Europa atingiu o valor mais alto desde o dia 4 de Janeiro e está a pouco mais de 1% de anular as perdas no ano.

 

As bolsas europeias foram animadas pelo sector da banca – em particular os bancos italianos – e pelas várias operações de fusões e aquisições anunciadas. A Mediaset disparou 18% depois de a Vivendi ter anunciado que planeia aumentar a sua participação na empresa italiana. Já o Lloyds também esteve em alta, após ter revelado que chegou a acordo para comprar a unidade de cartões do Bank of America.

 

As notícias de fusões e aquisições também acabaram por ter impacto na praça portuguesa. A Inapa, que não integra o PSI-20, valorizou 6,09% para 0,122 euros depois de ter anunciado a compra da totalidade da francesa Papyrus France.

 

O BCP foi um dos títulos que mais impulsionou o PSI-20, com uma valorização de 1,55% para 1,14 euros, depois do Negócios ter noticiado que petrolífera angolana Sonangol já tem autorização do BCE para ter mais de 20% do capital do banco liderado por Nuno Amado.

 

Também a impulsionar o índice português, a Navigator valorizou 1,78% para 3,266 euros e a Galp Energia ganhou 1,83% para 14,155 euros, a beneficiar com novo dia de alta nas cotações do petróleo. O brent em Londres avança 1,53% para 55,76 dólares.

 

A EDP subiu 0,69% para 2,90 euros e a EDP Renováveis cedeu 0,07% para 5,874 euros, depois de ter anunciado esta manhã que conseguiu assegurar um financiamento de "tax equity" no valor de 343 milhões de dólares (328,3 milhões de euros à cotação actual) nos Estados Unidos.

 

As cotadas do sector do retalho também contribuíram para a subida do PSI-20, com a Sonae a ganhar 1,61% para 88,2 cêntimos e a Jerónimo Martins a somar 0,62% para 14,555 euros.

(notícia actualizada às 17:00 com mais informação)


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
AB 20.12.2016

Sonae e Navigator, continuam o seu "natural" processo ascendente, que só peca por tardio!

pub