Bolsa BCP, Galp e retalho dão abertura negativa a Lisboa

BCP, Galp e retalho dão abertura negativa a Lisboa

O PSI-20 abriu a sessão desta quarta-feira em terreno negativo, a acompanhar a tendência nas pares europeias, depois de um fecho maioritariamente positivo nas praças asiáticas e de novos máximos no norte-americano Dow Jones.
Paulo Zacarias Gomes 21 de dezembro de 2016 às 08:11
O principal índice nacional arrancou em queda de 0,31% para os 4.643,50 pontos, a sessão desta quarta-feira, 21 de Dezembro, recuando da valorização com que tinha encerrado a sessão de ontem e estando a ser penalizado sobretudo pelo comportamento das acções do BCP, da Galp e do retalho.

Com nove títulos em queda, seis com ganhos e três sem variação, as acções do BCP caem 0,44% para 1,135 euros, enquanto as da Galp recuam 0,6% para 14,07 euros. A Jerónimo Martins recua 0,65% para 14,46% enquanto a Sonae cede 0,23% para 0,88 euros, um dia após ter anunciado que a SportZone passa a ter mais de 40 lojas no país vizinho.

As quedas da petrolífera ocorrem numa altura em que os preços do petróleo valorizam mais de 0,5% tanto em Londres como em Nova Iorque, com o brent - referência para as compras portuguesas - a somar 0,63% para 55,70 dólares por barril - e o West Texas Intermediate a avançar 0,64% para 53,64 dólares. 

Esta é a quinta sessão no vermelho das últimas dez para Lisboa, que só é travada por ganhos ligeiros de títulos como a REN, Mota-Engil, Nos, bem como BPI, Pharol e Altri.

No resto da Europa, as negociações encaminham-se para experimentar os últimos dias do ano mais "calmos" em termos de transacções, com os investidores a parecerem imunes aos factores geopolíticos evidenciados na última semana, com novos ataques terroristas em Berlim e a morte do embaixador russo na Turquia.

O índice VStoxx, que mede a volatilidade, caiu para níveis mínimos de Julho de 2014, segundo a Bloomberg, com as perspectivas positivas de crescimento económico mundial a suportar maior optimismo dos investidores.

(Notícia actualizada)



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub