Bolsa BCP ganha perto de 200 milhões de euros numa sessão

BCP ganha perto de 200 milhões de euros numa sessão

O banco liderado por Nuno Amado disparou 6%, depois de ter desvalorizado mais de 12% nas quatro sessões anteriores.
BCP ganha perto  de 200 milhões de euros numa sessão
Bruno Simão/Negócios
Patrícia Abreu 10 de setembro de 2017 às 15:38
Depois de ter desvalorizado 12% nas primeiras quatro sessões da última semana, o BCP esteve, na sexta-feira, a recuperar parte dessas perdas. O banco subiu mais de 6%, um movimento que lhe permitiu recuperar 184 milhões de euros em valor de mercado, numa sessão de ganhos para a banca europeia. Mas as preocupações em torno da rentabilidade, devido aos juros negativos na Zona Euro, deverão continuar a pesar no sector.

O banco liderado por Nuno Amado valorizou 6,12% para 0,2117 euros, a acompanhar o comportamento positivo registado pelo sector, que terminou o dia a avançar 0,85%. "Após o discurso de Mario Draghi [na última quinta-feira], que deu sinais sobre a manutenção de juros em níveis historicamente baixos por mais algum tempo, a banca europeia entrou em quedas e o BCP acelerou as perdas em linha com o restante sector", realça Gualter Pacheco.

Para o "trader" sénior do Banco Carregosa, o sector deverá continuar a ser pressionado pelo ambiente de juros negativos. Contudo, apesar desta conjuntura desfavorável, o especialista lembra que "foi neste cenário que se deu a recuperação do título [do BCP] e também o regresso a resultados positivos". Também Pedro Lino, administrador da Dif Broker, recorda que "todo o sector financeiro tem estado sob pressão devido à perspectiva de manutenção de uma política monetária de taxas de juro zero ou negativas".

Para Pedro Lino, o facto de o BCP ampliar os movimentos do sector na Europa poderá ser justificado pelo "risco que a banca portuguesa ainda representa". "O Novo Banco ainda não foi vendido e tem em curso uma operação de compra de dívida que irá definir o futuro da instituição, a recapitalização da CGD não está finalizada, e o Montepio ainda não tem novo accionista. Ou seja, o sistema financeiro português continua frágil", remata.

 "Tendo em conta que os resultados do BCP referentes ao terceiro trimestre de 2017 serão conhecidos apenas em meados de Novembro, a cotação do título deverá, provavelmente, continuar a ser influenciada pelo enquadramento para as bolsas e o sector bancário na área do euro, para além da evolução das ‘yields’ na região", acrescenta Albino Oliveira, da Patris Investimentos.




A sua opinião17
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 10.09.2017

Vai dar água de coco.

comentários mais recentes
Anónimo 12.09.2017

BCP BCP , os shorts a tabalhar para nos comprarmos ;), e a perderem dinheiros assim vale apena assistir. Não vendam na conversa da ação cair, o que conta são resultados e não a jogatana da bolsa. É verdade o BCP não ganhou nada, não teve nehum lucro com negocio , como não perdeu nada antes !!!!

Anónimo 11.09.2017

O Criador de Ratos manda comprar

gspvc 11.09.2017

noticia de merda, ganhou 200 mas esquecem-se que perdeu 400 numa só sessão anterior

BCP 2018 (new) price target and potential 11.09.2017

ROE (2018 plan) = 10%. Equity = 5.900.000.000€. Earnings = 0,1 x 5.900.000.000€ = 590.000.000€. P/E = 10 (Eurozone average). Market capitalisation = 10 x 590.000.000€ = 5.900.000.000€. Stock price target = 5.900.000.000€ / 15.000.000.000 = 0,39€. Upside potential = 0,39€/0,2117€ - 1 = 85,9%.

ver mais comentários
pub