Bolsa BCP recupera com proibição de "short selling" e valorização dos direitos

BCP recupera com proibição de "short selling" e valorização dos direitos

As acções estão em alta mas continuam em forte desequilíbrio com os direitos de subscrição do aumento de capital.  
BCP recupera com proibição de "short selling" e valorização dos direitos
Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Carregueiro 20 de janeiro de 2017 às 08:54

O arranque de sessão está a ser de recuperação para as acções do BCP, que ontem sofreram uma queda de mais de 11%.

 

Esta sexta-feira as acções valorizam 0,91% para 14,4 cêntimos, tendo logo no arranque registado um ganho máximo de 4,41% para 14,9 cêntimos. O banco liderado por Nuno Amado beneficia com a decisão da CMVM em proibir vendas a descoberto das acções do BCP esta sexta-feira.

 

Na sessão de ontem as acções foram pressionadas pelo início de negociação dos direitos de subscrição do aumento de capital bem abaixo do preço teórico, sendo que hoje estes títulos estão a recuperar.

 

Os direitos sobem 1,72% para 65,1 cêntimos, tendo já oscilado entre 61,4 cêntimos e 65,6 cêntimos. Apesar desta recuperação, os direitos continuam em forte desequilíbrio com as acções.

 

À cotação das acções (14,4 cêntimos), corresponde um valor teórico dos direitos de 75 cêntimos. Já à cotação dos direitos (65,1 cêntimos), corresponde um valor teórico das acções de 13,74 cêntimos.

 

Ou seja, as acções estão cerca de 5% mais caras do que o preço que resulta do valor em bolsa dos direitos, um factor que poderá colocar pressão adicional sobre os títulos.

 

A pressionar os direitos estará o facto de muitos accionistas que receberam estes títulos estarem a vender uma vez que não pretendem acompanhar o aumento de capital de 1,33 mil milhões de euros que o banco está a realizar.

 

Os direitos vão negociar em bolsa até 30 de Janeiro, sendo que o período de exercício termina a 2 de Fevereiro. Cada direito permite a compra de 15 acções, mediante o pagamento de 9,4 cêntimos por cada uma. Aqui pode acompanhar a cotação dos direitos.  E aqui das acções




A sua opinião30
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado tanso 20.01.2017

Está claríssimo que o short selling apenas serve para os especuladores e rapinas do sistema. Tenham a coragem de acabar com isso e vão ver um bom ano nas acções portuguesas

comentários mais recentes
Anónimo 24.01.2017

Para os BCPatos:

https://www.youtube.com/watch?v=z4nCTdQlH8w

https://www.youtube.com/watch?v=JVS-PVupWgk

Anónimo 20.01.2017

A CMVM a proibir vendas a descoberto das acções do BCP esta sexta-feira. Mas porquê só esta sexta feira? Quando acabam com esta merd@ de vez? A prova de que são estes abutres que têm dado cabo das nossas empresas está à vista.Quanto subiu hoje o BCP? 10% quanto caíu ontem? mais do que isso! dúvidas?

Anónimo 20.01.2017

Para uns há proibição do short selling, para outros ficam expostos aos C H U L O S !

Criador de Touros 20.01.2017

Direitos a 0.7220 agora: parece que há gente a querer comprar, mas os vendedores estão a ser muito espertos. Assim já não chamo tuga a ninguém...As células cinzentas estão a começar a trabalhar e é sempre um prazer ver tal. De 0 a 20, para já dou aos srs accionistas um belo 13, bastante prometedor.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub