Bolsa BCP recupera e leva PSI-20 para o lado dos ganhos

BCP recupera e leva PSI-20 para o lado dos ganhos

A bolsa nacional já inverteu para terreno positivo, acompanhando a tendência dos principais índices europeus. Em Lisboa é o BCP que anima, com uma subida de quase 1,5%.
BCP recupera e leva PSI-20 para o lado dos ganhos
Miguel Baltazar/Negócios
Rita Faria 04 de agosto de 2017 às 10:44

Depois de um início de sessão negativo, a bolsa nacional já inverteu para o lado dos ganhos, impulsionada pela recuperação do BCP. Com dez cotadas em alta e nove em queda, o PSI-20 ganha 0,28% para 5.193,85 pontos, depois de duas sessões consecutivas de perdas.

Na Europa, os principais índices negoceiam em alta ligeira, num dia em que as atenções continuam centradas na apresentação de resultados das empresas e nos dados do emprego nos Estados Unidos, que serão conhecidos esta tarde.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, sobe uns ligeiros 0,01% para 378,98 pontos, animado pelas cotadas do sector da mineração e ‘utilities’.

Em Lisboa, o BCP é a cotada que mais impulsiona o PSI-20. O banco liderado por Nuno Amado valoriza 1,44% para 23,25 cêntimos, depois de ter acumulado uma descida de quase 6,5% nas duas últimas sessões.

A contribuir para a tendência positiva do principal nacional estão também a EDP e a Galp Energia. A eléctrica comandada por António Mexia sobe 0,32% para 3,093 euros, no dia em que serão conhecidos os resultados da OPA sobre a EDP Renováveis, que segue praticamente inalterada nos 6,767 euros.

A Galp Energia valoriza 0,58% para 13,915 euros e a REN soma 0,43% para 2,806 euros.

Do lado das perdas destacam-se a Jerónimo Martins e a Corticeira Amorim. A Jerónimo Martins desce 0,18% para 16,85 euros enquanto a sua congénere do retalho, a Sonae – a próxima cotada portuguesa a apresentar os seus resultados, no próximo dia 24 de Agosto – sobe 0,10% para 96,9 cêntimos.

Já a Corticeira Amorim desvaloriza 1,47% para 11,43 euros, depois de o BPI ter cortado o seu preço-alvo para as acções de 13,90 para 13 euros. Tendo em conta a cotação actual, o potencial de valorização é de 13,7%.