Research BCP sobe para novo máximo após subida de “target” do JPMorgan

BCP sobe para novo máximo após subida de “target” do JPMorgan

O BCP foi alvo de uma melhoria de avaliação por parte do JPMorgan. Este banco de investimento elevou o preço-alvo do banco em mais de 16,5%, o que está a ajudar a elevar as acções do banco liderado por Nuno Amado para novos máximos de 2016.
BCP sobe para novo máximo após subida de “target” do JPMorgan
Miguel Baltazar
Sara Antunes 22 de janeiro de 2018 às 15:25

O JPMorgan melhorou a avaliação do BCP de 0,30 euros para 0,35 euros. É uma subida de 16,7% que confere às acções um potencial de valorização de quase 11% face à actual cotação (0,3157 euros).

 

A informação consta na Bloomberg, não tendo o Negócios tido acesso à nota de análise. A recomendação foi mantida, segundo a mesma fonte, em "overweight".

 

As acções do BCP estão a registar uma subida acentuada, valorizando 3,68% para 0,3157 euros, o que coloca os títulos num novo máximo de Junho de 2016.

 

A subida desta segunda-feira eleva para 15,85% o ganho do banco liderada por Nuno Amado (na foto) desde o início do ano, depois de em 2017 ter apreciado mais de 47%.

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




pub