Research BiG inicia cobertura das papeleiras. Navigator e Semapa com potencial em torno de 20%

BiG inicia cobertura das papeleiras. Navigator e Semapa com potencial em torno de 20%

O Banco BiG iniciou a cobertura das papeleiras portuguesas, atribuindo um potencial de subida de 18,5% e 24,5% à Navigator e Semapa, respectivamente, e um potencial de queda de 17% à Altri.
BiG inicia cobertura das papeleiras. Navigator e Semapa com potencial em torno de 20%
Bloomberg
Rita Faria 17 de outubro de 2017 às 12:31

O Banco BiG iniciou a cobertura das três cotadas portuguesas do PSI-20 da área da pasta e do papel – Semapa, Navigator e Altri – um mercado onde existe um equilíbrio entre o crescimento constante da procura e as mudanças ao nível da capacidade, que se traduz em baixa volatilidade nos preços das matérias-primas e produtos, de acordo com os analistas.

 

Às acções da Navigator, o BiG atribui um preço-alvo de 5,10 euros, o que lhes confere um potencial de valorização de 18,5%, tendo em conta a cotação actual (4,301 euros). A recomendação é de "acumular".

 

Na nota de análise, divulgada esta terça-feira, 17 de Outubro, o BiG considera que a capacidade do segmento de papel da Navigator de gerar bons ‘cash flows’ é ligeiramente subvalorizada pelo mercado. Os analistas vêm-no como um negócio "muito resiliente" mesmo que a procura por papel UWF (papel fino não revestido) abrande mais rapidamente.

 

"Temos boas expectativas para os preços do papel UWF, visto que se mostraram mais reactivos a mudanças positivas no preço da pasta do que a mudanças negativas", acrescentam.

 

O BiG recorda ainda que o grupo entrou no segmento de Tissue em 2015, abrindo, consequentemente, um conjunto de oportunidades de crescimento que são valiosas para a empresa.

 

"No final de contas, o dinheiro é sempre rei e a Navigator gera muito de forma consistente. O que mais gostamos nos cash flows da Navigator não é apenas a sua dimensão em relação ao preço das acções, mas também a sua consistência e perspectivas para o futuro", consideram os especialistas, que antecipam uma subida do cash flow operacional de 254 milhões de euros em 2017 para 285 milhões em 2018.

 

No que respeita à Semapa – que tem uma participação de 70% na Navigator – o preço-alvo atribuído pelo BiG é de 21,1 euros e a recomendação de "comprar". Tendo em conta a cotação actual (16,95 euros), a avaliação traduz um potencial de subida de 24,5%.

 

Os analistas consideram que a Semapa está a negociar com uma grande desconto face à Navigator, o que constitui um boa oportunidade para entrar na acção.

 

Por outro lado, o sector do cimento está a dar sinais de recuperação, outro factor que poderá impulsionar os preços do título.

 

O BiG destaca ainda que a Semapa deverá ter margem para pagar dividendos de 55 milhões de euros ao ano aos seus accionistas, o que tendo em conta o preço da acção, traduz um dividend yield de 3,5%.

 

BiG recomenda "reduzir" Altri

 

No que respeita à Altri, o Banco BiG inicia a cobertura das acções fixando um preço-alvo de 4,58 euros e uma recomendação de "reduzir". A avaliação tem implícito um potencial de desvalorização de 17,2%, tendo em conta a cotação actual de 5,37 euros.

 

Na nota de análise, o banco considera que os títulos são muito sensíveis às alterações dos preços da pasta BHKP e à variação do euro/dólar, "o que é um factor negativo na nossa opinião", dizem os analistas.

 

O banco de investimento admite-se "conservador" em relação às estimativas para o preço da pasta, considerando mesmo que as expectativas actuais "são especulativas".

 

"Mesmo que as mudanças de capacidade líquida esperadas apontem para preços mais altos em 2019 e 2020, pensamos que a consciência ambiental que surgiu recentemente na China deve ser tomada com cautela", dizem os analistas, que antecipam que os preços da pasta atinjam um máximo de cerca de 950 dólares em 2019.

 

Por este motivo, o BiG acredita que a cotação actual da Altri está "sobreavaliada".

 

Os títulos da empresa co-liderada por Paulo Fernandes descem 1,34% para 5,38 euros, a Semapa ganha 1,41% para 16,95 euros e a Navigator recua 0,85% para 4,301 euros.   

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
MOTA ENGIL ,ação do futuro Há 4 dias

Cotação 4.50 euros , fim do ano, em 2014 passou dos 6.00 euros, no dia 13 deste mês, mais uma noticia , no méxico .obra de mais de 200 milhões. soma e segue,

Obrigado, acabei de vender Há 4 dias

Quando vi esta noticia , vendi 8.000 ações da Navigator,

PAPELEIRAS, situação critica Há 4 dias

Importação de madeira , única matéria prima das papeleiras levam a que a cotação das ações afunde, consumo nacional ,reduzido a 10% estes da BIG não sabem o que dizem,

VÃO DAR BANHO AO CÃO Há 4 dias

Devem estar entalados na Navigator, conflito de interesses, sem dúvida cobertura sem qualquer razão, pelo contrário , nesta situação de incêndios, já devia estar a 3.00 euros por ação, vende rápido, é a palavra de ordem

ver mais comentários