Mercados Bill Gross considera que os mercados financeiros se tornaram casinos

Bill Gross considera que os mercados financeiros se tornaram casinos

Na opinião do ex-líder da Pimco as políticas seguidas pelos bancos centrais fizeram com que os mercados financeiros se tenham transformado numa espécie de "casino de Vegas/Macau/Monte Carlo".
Bill Gross considera que os mercados financeiros se tornaram casinos
Reuters
Negócios 04 de Outubro de 2016 às 15:09

O fundador e antigo líder da Pimco e actualmente gestor do fundo de obrigações da Janus Capital, Bill Gross, afirmou esta terça-feira, 4 de Outubro, que actualmente os mercados financeiros funcionam como se fossem um casino como os existentes em Las Vegas ou em Monte Carlo.

 

Citado pela agência Reuters, Gross sustentou, no seu mais recente estudo de investimento, que as políticas de estímulo económico sem precedentes que vêm sendo seguidas pelas diversas autoridades monetárias fizeram com que "os nossos mercados financeiros se tenham tornado num casino de Vegas/Macau/Monte Carlo".

 

Gross explica que nestes casinos se está a "apostar" que a "oferta ilimitada de crédito gerada pelos bancos centrais pode reanimar com sucesso a economia global e revigorar o crescimento nominal do PIB para valores mais baixos mas ainda assim aceitáveis neste altamente alavancado mundo".

 

Como sugestão para preservar capital, Bill Gross, que gere um fundo de obrigações de 1,5 mil milhões de dólares na Janus Global, recomenda aos investidores que apostem no ouro e na Bitcoin.

 

Gross tem sido uma das vozes que ao longo dos últimos anos tem alertado para a capacidade destrutiva que os juros próximos de zero, ou mesmo negativos, representam para os actuais modelos económicos capitalistas. No entender de Bill Gross esta situação em que as obrigações garantem rendibilidades quase nulas "não pode acabar bem".

 

 

 




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 04.10.2016


PS ROUBA OS TRABALHADORES DO PRIVADO

FP SEMPRE A ROUBAR À GRANDE

Por que razão o cálculo da pensão da sua CGA era mais generoso do que o cálculo da pensão do regime geral?

Porquê?

Por que razão uns tinham reforma de filhos e outros reforma de enteados?

Esta discrepância logo à partida é que é razão para indignação, meu caro amigo.

A equiparação prometida é da mais elementar justiça.

Por que razão trabalha V. Exa. menos 5 horas semanais do que os trabalhadores dos sectores privados?

Pior: além de trabalhar menos horas, ainda tem direito a mais dias de férias.

Porquê?

Que razões podem justificar estes privilégios injustificáveis?

Que aritmética laboral pode justificar esta diferença entre V. Exa. e a restante população?

Que equidade pode existir aqui?

comentários mais recentes
beachboy 05.10.2016

...quando era só ele a ganhar estava tudo bem...
...agora que não ganha reclama...
...típico...

Anónimo 04.10.2016

no seu mais recente estudo de investimento. Que jornalista idiota. Foi uma mera newsletter. Foi publicado numa newsletter de opinião mensal. Qual estudo de investimento. Que idiota este jornalista. Procurem na Janus e verifiquem seus incompetentes.

Anónimo 04.10.2016


PS ROUBA OS TRABALHADORES DO PRIVADO

FP SEMPRE A ROUBAR À GRANDE

Por que razão o cálculo da pensão da sua CGA era mais generoso do que o cálculo da pensão do regime geral?

Porquê?

Por que razão uns tinham reforma de filhos e outros reforma de enteados?

Esta discrepância logo à partida é que é razão para indignação, meu caro amigo.

A equiparação prometida é da mais elementar justiça.

Por que razão trabalha V. Exa. menos 5 horas semanais do que os trabalhadores dos sectores privados?

Pior: além de trabalhar menos horas, ainda tem direito a mais dias de férias.

Porquê?

Que razões podem justificar estes privilégios injustificáveis?

Que aritmética laboral pode justificar esta diferença entre V. Exa. e a restante população?

Que equidade pode existir aqui?

Yoga 04.10.2016

Os marxistas estão certos, mas para os pobres, claro. O dinheiro deve corresponder a algo. E corresponde: a rolexes e bmws. A malta financeira não parece burra mas é muito pimba.

ver mais comentários
pub