Câmbios Bitcoin supera os 16.000 dólares, valoriza quase 50% desde o início da semana

Bitcoin supera os 16.000 dólares, valoriza quase 50% desde o início da semana

A cavalgada da criptomoeda parece ter rédea solta. Em menos de 24 horas saltou quatro barreiras e já ultrapassou os 16.000 dólares. A iminência da negociação de futuros baseados em bitcoin pode estar a explicar as subidas em flecha.
Bitcoin supera os 16.000 dólares, valoriza quase 50% desde o início da semana
Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 07 de dezembro de 2017 às 15:00
13.000, 14.000, 15.000 e... 16.000 dólares. Em menos de 24 horas, o valor da bitcoin já superou quatro barreiras e chegou a estar esta quinta-feira, 7 de Dezembro, acima dos 16 mil dólares por unidade. Mais concretamente 16.320,2256 dólares, após uma subida de 22,28%, um novo máximo absoluto. E uma subida de quase 50% (49,74%) desde o início da semana, segundo os dados da Bloomberg.

O activo, que segue agora a disparar 19,90% para 16.003,125 dólares (cerca de 13.560 euros, à taxa de câmbio actual), já viu o seu valor multiplicado por mais do que 15 desde o início do ano. Uma subida que deverá estar a ser justificada com o anúncio, na semana passada, do início da negociação de futuros associados a esta criptomoeda, o que aumenta a especulação da entrada de mais investidores.

Segundo a CNBC, as subidas das últimas sessões colocam o valor de mercado da bitcoin no 256 mil milhões de dólares (cerca de 217 mil milhões de euros à cotação actual), o que a põe num patamar de avaliação paralelo ao das 20 acções com maior capitalização bolsista do índice S&P 500 nos EUA.

No próximo domingo a Cboe estreia-se na negociação de futuros sobre a bitcoin em bolsa, antecipando-se à CME, que arranca com o seu próprio produto no próximo dia 18. Pelo menos três operadores (o terceiro é a Cantor Exchange) tiveram luz verde das autoridades norte-americanas na semana passada para poder transaccionar futuros associados à bitcoin nos EUA.

Além da entrada da moeda no mercado de futuros, há outras notícias relacionadas com a criptomoeda que podem estar a influenciar a negociação. Já esta quinta-feira a ASX, o principal operador de acções e derivados da Austrália, anunciou que vai começar a usar o blockchain – software que gera as bitcoins entre outras criptomoedas - para realizar operações, tornando-se assim no primeiro operador de bolsa a usar a tecnologia.

Os alertas em relação à moeda - e à sua valorização súbita - continuam porém a chegar. Depois de o CEO do JPMorgan, Jamie Dimon, ter apelidado a bitcoin de "fraude", e de o milionário e ex-administrador da gestora de investimentos Fortress Investment Group, Mike Novogratz ter considerado que as criptomoedas "serão a maior bolha das nossas vidas", na semana passada foi a vez do Nobel da Economia, Joseph Stiglitz vir defender que a divisa electrónica deveria ser banida.

(notícia actualizada às 15:49 com novos valores)



Saber mais e Alertas
pub