Mercados Bitcoin supera 19.500 dólares com chegada ao palco principal de Wall Street

Bitcoin supera 19.500 dólares com chegada ao palco principal de Wall Street

A criptomoeda já transaccionou acima dos 19.500 dólares, isto numa altura em que já está a negociar no CME Group, uma semana depois dos futuros da bitcoin terem começado a transaccionar na Cboe Global Markets.
Bitcoin supera 19.500 dólares com chegada ao palco principal de Wall Street
Negócios com Bloomberg 18 de dezembro de 2017 às 09:15

A bitcoin continua a coleccionar recordes e está próximo de quebrar uma nova barreira psicológica. Pela primeira vez, a criptomoeda transaccionou esta segunda-feira, 18 de Dezembro, acima dos 19.500 dólares por unidade (mais especificamente 19.511 dólares, fruto de um disparo de 10,67%). Um comportamento que tem lugar depois de este activo ter começado a negociar na maior bolsa de valores do mundo.

Os futuros sobre a bitcoin começaram a transaccionar este domingo, 17 de Dezembro, na CME Group, uma semana depois da rival de Chicago Cboe Global Markets ter introduzido derivados semelhantes sobre a volátil criptomoeda. De acordo com a Bloomberg, o arranque da bitcoin na CME foi mais célere e mais eficiente ao nível do preço.

O contrato mais activo trocou de mãos 221 vezes na primeira hora, contra as 570 vezes registadas em igual período na negociação na Cboe Global. Apesar do número de vezes que trocou de mãos ser menor que na semana passada, isso acaba por ser um dado positivo, uma vez que os contratos da CME são cinco vezes mais valiosos que os da Cboe.

Bobby Cho, da Cumberland, a unidade criptomoedas da DRW Holdings LLC, disse à agência de informação que "as pessoas estão mais bem preparadas" para negociarem na CME. "Eles sabem como vão cobrir as suas posições", acrescentou.

Já José Miguel Nascimento, líder do fundo de criptomoedas Solidus Capital, referiu à Bloomberg que estavam à espera "do lançamento dos futuros da CME porque o preço é mais robusto e as transacções muito maiores que os volumes". "Os futuros são um desenvolvimento muito positivo para o mercado da bitcoin, na medida em que vai ajudar todos" e "havendo uma curva de preço vai ajudar a limitar as oscilações de preço".

Já ontem a expectativa era que os futuros da CME tivessem um impacto muito maior este domingo porque a empresa é também um player muito maior no mercado de futuros do que a Cboe, com um volume de negociação 55 vezes superior durante os primeiros nove meses deste ano, de acordo com a Associação da Indústria de Futuros, avançava este domingo a Bloomberg. E segundo a agência, a Cboe transaccionou mais de 10 mil contratos que representam cerca de 180 milhões de dólares em bitcoins.

Garret See, CEO da firma de trading de criptomoedas DV Chain, dizia ontem à Bloomberg que muitos traders não tinham acesso a estes contratos, uma vez que vários brokers ainda não os oferecem.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

ESPEREM PELA "PANCADA"!

ILITERACIA FINANCEIRA Há 5 dias

CME -> CHICAGO MERCANTILE EXCHANGE concorrente da CBOE em futuros e opções.
Bitcoin não entra no palco de Wall Street que fica em Nova Iorque o título do artigo é enganador.
“If you don't read the newspaper, you're uninformed. If you read the newspaper, you're mis-informed.” - Mark Twain

António Há 5 dias

Mais um conto de meia dúzia de vigaristas. Inventam qualquer coisa para sacar mais umas massas. Isto já parece mais um jogo do Chico esperto à caça de gananciosos. O sistema Ponzi está montado agora venham as presas.

Saber mais e Alertas
pub