Bolsa Black Creek com participação qualificada na Galp

Black Creek com participação qualificada na Galp

A gestora de investimentos de origem canadiana chegou aos 2% de posição na energética na segunda-feira.
Black Creek com participação qualificada na Galp
Paulo Zacarias Gomes 26 de julho de 2017 às 17:23

A Black Creek Investment Management Inc anunciou esta quarta-feira, 26 de Julho, que reforçou a sua presença no capital da Galp, passando a deter uma posição qualificada. 

O aumento, que ocorreu a 24 de Julho (segunda-feira passada), elevou os direitos de voto e a fatia de capital detidos pela gestora de investimentos de 1,97% para 2%.

Segundo o comunicado da Galp enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) que dá conta da alteração, as acções são imputadas directa e indirectamente à Black Creek.

No caso da imputação indirecta, as acções (1,96% dos direitos de voto) estão nas mãos de "15 fundos e clientes, a quem a Black Creek presta serviços de assessoria sobre investimentos". Directamente, a empresa canadiana detém 0,04% dos direitos de voto através de fundos "sobre os quais a Black Creek actua como gestor de investimentos." 

No dia em que foi atingida a posição qualificada, as acções da empresa liderada por Carlos Gomes da Silva (na foto) encerraram a sessão a valer 13,31 euros. Esta quarta-feira, encerraram a negociação a apreciar 0,07% para 13,46 euros.

Segundo o site da Galp, além da posição agora conhecida da Black Creek, detêm participações qualificadas entre 2% e 3% a empresa de investimentos Templeton Global Advisors Limited (2,03%), a gestora de investimentos Henderson Group (2,34%), a empresa gestora de investimentos multinacional BlackRock (2,45%) e a Standard Life Investments (2,91%).

A Galp apresenta resultados do segundo trimestre a 31 de Julho.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar