Bolsa BNP reduz posição nos CTT

BNP reduz posição nos CTT

A posição global do BNP, através de vários fundos, é de 3,1%, face aos 4,85% existentes no final de Setembro. Mesmo assim, é o quarto maior accionista.
BNP reduz posição nos CTT
Paulo Duarte/Negócios
Diogo Cavaleiro 30 de outubro de 2017 às 19:44

O BNP Paribas diminuiu a participação nos CTT – Correios de Portugal. Ainda assim, pese embora tenha agora apenas 3,1% do capital, continua a ser o quarto maior accionista.

 

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo francês informa que o fundo BNP Paribas Asset Management France deixou de ter 3,78% do capital dos CTT, tendo-se fixado em 1,995% a 24 de Outubro.

 

A comunicação aconteceu porque esta entidade, especificamente, baixou da fasquia dos 2% - o que obriga a uma comunicação à CMVM.

 

Só que o BNP Paribas tem participação nos CTT através de outras entidades: 1,09% dos direitos de voto são directamente imputáveis à BNP Paribas Investment Partners UK e 0,01% à BNP Paribas Investment Partners Netherland.

 

O BNP Paribas tem, então, uma posição global de 3,78%, quando tinha 4,85% na última notificação. A sua posição fica abaixo dos 10% da Gestmin, de Manuel Champalimaud, e dos 5% que a Allianz e Wilmington Capital (donos da Mayoral) têm, cada um.

 

A redução da posição accionista do grupo com origem no BNP Paribas ocorre antes da divulgação dos resultados dos CTT relativos aos primeiros nove meses do ano, que acontece esta terça-feira, 31 de Outubro.

 

A empresa presidida por Francisco Lacerda (na foto) fechou a sessão de segunda-feira com uma cotação de 5,066 euros, uma valorização de 0,12% face ao dia anterior. O PSI-20 subiu 0,70%.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub