Bolsa Bolsa acentua ganhos com sete cotadas a subirem mais de 2%

Bolsa acentua ganhos com sete cotadas a subirem mais de 2%

A bolsa nacional acentuou os ganhos numa altura em que são várias as cotadas a registar fortes subidas, como a Corticeira, que sobe mais de 5%, os CTT, a Mota-Engil e a Pharol, que apreciam cerca de 3%.
Bolsa acentua ganhos com sete cotadas a subirem mais de 2%
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Antunes 02 de janeiro de 2018 às 14:54

O PSI-20 está a subir 1,09% para 5.447,15 pontos, numa altura em que dos 18 títulos que compõem o índice 15 sobem, dois caem e um segue estável. A bolsa nacional está assim entre as bolsas europeias que mais sobe nesta primeira sessão do ano, só superada pela praça grega, que está a apreciar 1,78%.


Entre os restantes índices bolsistas europeus, a tendência é maioritariamente de quedas, com o Stoxx600, que agrega as 600 maiores cotadas europeias a descer 0,47%, numa sessão que deverá ser marcada pela baixa liquidez, já que muitos investidores continuam fora do mercado devido às festividades da época.

 

Na bolsa nacional, o dia está a ser positivo, com sete cotadas entre os 18 membros do PSI-20 a subirem inclusivamente mais de 2%.

 

A liderar os ganhos está a Corticeira Amorim, ao subir 5,05% para 10,82 euros, a recuperar das quedas recentes, que levaram a cotação da empresa de cortiça para mínimos de Abril.

 

Seguem-se os CTT, que sobem 3,62% para 3,634 euros, depois de 2017 ter sido um ano negro para a cotada liderada por Francisco Lacerda, tendo sido a cotada que mais caiu no PSI-20 descendo mais de 45%.

 

A subir mais de 3% estão ainda as acções da Mota-Engil. Já a Pharol avança 3% para 0,2575 euros, depois de a empresa liderada por Palha da Silva ter pedido uma assembleia extraordinária da Oi para aprovar uma acção contra o CEO. A empresa está contra o plano da operadora de telecomunicações brasileira e argumenta que o CEO não poderia ter levado o documento à AG de credores sem ser primeiro aprovado pela administração.

 

Destaque também para o BCP, que sobe 2,50% para 0,2788 euros, tendo já tocado no valor mais elevado desde Agosto de 2016 ao negociar 0,2815 euros.

 

Do lado oposto está a EDP Renováveis, ao perder mais de 1% para 6,885 euros, e a Ibersol, que cede 0,82% para 12,05 euros. 

A Navigator, que na sexta-feira, já após o fecho do mercado, revelou um acordo para a venda do seu negócio de granulados de madeira (pellets), nos Estados Unidos, está a subir 1,79% para 4,328 euros. O BPI admite que a Navigator distribua um dividendo extraordinário pelos seus accionistas com o dinheiro que vai encaixar com a venda do negócio de granulados de madeira nos Estados Unidos.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Jose 02.01.2018

Só vendo quando estiver a 0.50

a FOSUN vai ENGOLIR o BCP 02.01.2018

a FOSUN vai engolir o MILENIUM BCP no 1º TRIMESTRE de 2018 no 2º TRIMESTRE a CHINA tornar - se - á NA PRIMEIRA POTENCIA DO MUNDO relegando os EUA para 2 lugar a FOSUN tornarse á numa das 3 MAIORES EMPRESAS do MUNDO

0,281€ 02.01.2018

Será que estamos a assistir a um rally? Desconfio que sim! Mas mesmo assim recuso-me a vendet a estes preços!

HORA DE VENDER 02.01.2018

HORA DE VENDER , HORA DE VENDER , amanha há mais,

ver mais comentários
pub