Bolsa Bolsa da China entra em mercado "touro"

Bolsa da China entra em mercado "touro"

A bolsa chinesa está a acumular um ganho superior a 20% desde os mínimos de Fevereiro, beneficiando dos indicadores económicos que têm sido divulgados e que apontam para que o crescimento económico tenha estabilizado.
Bolsa da China entra em mercado "touro"
Reuters
Sara Antunes 11 de Novembro de 2016 às 09:44

O índice Shanghai Composite subiu 0,78% para 3.196,043 pontos, elevando para 21% a valorização desde 28 de Janeiro, altura em que atingiu um mínimo.

 

A subida tem sido progressiva, sendo que as últimas cinco semanas foram sempre de ganhos, acumulando neste período uma subida superior a 6%, como se pode ver no gráfico.

Evolução do Shanghai Composite desde Fevereiro

 

A contribuir para a subida recente da bolsa chinesa está o aumento do investimento por parte do Governo, que tem implementado medidas para impulsionar o crescimento da economia. Nos próximos tempos o índice de referência para a China poderá mesmo "subir até aos 3.900 pontos", referiu à Bloomberg Li Jingyuan, gestor na Shanghai Bingsheng.

 

A bolsa está assim a subir há cinco semanas consecutivas, o que corresponde à maior série de ganhos consecutivos desde Maio de 2015. As acções que mais têm beneficiado da actual conjuntura são as que estão mais expostas ao sector da construção. A Bloomberg realça que as cotadas que mais sobem são a China Communications Construction, a China State Construction e a Jiangxi Copper, que sobem mais de 30% desde o final de Setembro.

 

Apesar da subida recente do índice, a bolsa chinesa ainda não conseguiu recuperar das quedas registadas no início do ano, período em que os receios em torno do crescimento económico da segunda maior economia do mundo provocaram perdas elevadas nas bolsas mundiais. O índice Shanghai Composite ainda acumula uma queda de 9,70% desde o início do ano. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub