Bolsa Bolsa de Lisboa arranca em alta com BCP a subir mais de 1%

Bolsa de Lisboa arranca em alta com BCP a subir mais de 1%

Pelo terceiro dia consecutivo, a bolsa nacional negoceia em terreno positivo, estando a ser impulsionada nomeadamente pelos ganhos do Banco Comercial Português. Entre as restantes congéneres europeias, as praças oscilam entre perdas e ganhos.
A carregar o vídeo ...
Ana Laranjeiro 29 de janeiro de 2018 às 08:16

A bolsa de Lisboa arrancou a sessão desta segunda-feira, 29 de Janeiro, em terreno positivo e regista assim a terceira sessão de ganhos. O PSI-20 sobe 0,09% para 5.773,56 pontos, com sete cotadas em alta, seis em queda e cinco inalteradas.

Entre as restantes congéneres europeias não se verifica uma tendência definida, numa altura em que os investidores estão atentos nomeadamente aos resultados de empresas.

A animar o comportamento das praças do Velho Continente está, nomeadamente, a notícia que a suíça AMS, fornecedora da Apple e a cotada que mais subiu no ano passado, anunciou que a suas receitas duplicaram em 2017, para o valor recorde de 1,06 mil milhões de euros, de acordo com a Reuters. Nota também para a Sanofi que pretende adquirir a biotecnológica belga Ablynx por, aproximadamente, 3,9 mil milhões de euros. Todavia, as acções da empresa francesa cedem 0,03% para 73,26 euros.

Em Lisboa destaque para as acções do BCP, que registam uma valorização de 1,08% para 33,6 cêntimos e impulsionam o índice nacional. O Negócios avança na edição desta segunda-feira que o banco liderado por Nuno Amado regista o melhor arranque na bolsa de 2013O valor de mercado do banco aumentou em mais de 900 milhões de euros, desde o início do ano, o que representa uma valorização média de quase 50 milhões de euros por sessão. E os analistas continuam optimistas para as acções.

A contribuir ainda para o sentimento positivo do PSI-20 estão os títulos da Pharol, que ganham 1,07% para 23,6 cêntimos, Jerónimo Martins, Galp Energia e Nos.

A retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos ganha 0,09% para 17,385 euros. Comportamento oposto tem a concorrente Sonae, que desce 0,24% para 1,268 euros.

Na energia, a Galp Energia escapa à tendência negativa que domina o sector ao subir 0,03% para 16,16 euros. Os preços do petróleo seguem sem uma tendência definida nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, referência para as importações nacionais, cede 0,18% para 70,39 dólares por barril.

A EDP recua 0,66% para 2,871 euros e a EDP Renováveis desvaloriza 0,70% para 7,05 euros. Já a REN cede 0,08% para 2,562 euros.

A Nos cresce 0,09% para 5,505 euros.

(Notícia actualizada pela última vez às 8:24)




Saber mais e Alertas
pub