Bolsa Bolsa de Lisboa arranca semana com ganhos, BCP e Galp sustentam

Bolsa de Lisboa arranca semana com ganhos, BCP e Galp sustentam

O principal índice nacional abriu em alta, a acompanhar o resto da Europa, depois de um desempenho positivo nas acções asiáticas, a reagir em alta aos números do emprego nos Estados Unidos.
A carregar o vídeo ...
Paulo Zacarias Gomes 07 de agosto de 2017 às 08:11
A bolsa portuguesa abriu a semana em alta ligeira, pela segunda sessão de ganhos, com os títulos do BCP, Galp e universo EDP a sustentarem as valorizações, na primeira sessão após a EDP ter conseguido comprar apenas 5% da Renováveis na OPA.

O PSI-20 soma 0,08% para 5.257,40 pontos na abertura, com sete títulos em alta, seis em queda e seis inalterados.

Os ganhos no índice nacional são partilhados com o início de sessão em alta nas pares europeias, depois de ganhos ligeiros nas acções asiáticas, onde o optimismo foi sustentado pelos números positivos da criação de emprego nos EUA

Por cá, o banco liderado por Nuno Amado ganha 0,17% para 0,2317 euros, enquanto a Galp soma 0,18% para 14,10 euros. A Nos ganha 0,22% para 5,53 euros.

No universo EDP, depois de o resultado da OPA à Renováveis ter sido inferior ao necessário para avançar com a OPA potestativa ou com a ordem permanente de compra, os ganhos são ligeiros. A eléctrica liderada por António Mexia sobe 0,03% para 3,151 euros e a Renováveis ganha 0,04% para 6,8 euros, ainda acima dos 6,75 euros oferecidos pela EDP.

Na oferta terminada na semana passada a EDP conseguiu comprar apenas 5% do capital sob oferta, ficando com 82,56% da Renováveis. A casa-mãe não avançará para já com a fusão com a subsidiária, que continua cotada no PSI-20.

As industriais Corticeira Amorim (-0,6% para 11,51 euros) e Altri (-0,08% para 3,86 euros) estão do lado das perdas, a que se juntam também Pharol e Mota Engil. 

A marcar as negociações no resto da Europa estão resultados da produção industrial na Alemanha conhecidos ao início da manhã, que apontam para o primeiro recuo neste indicador em seis meses, um comportamento que analistas e governo não vêm como capaz de alterar a trajectória de crescimento do país.

Ainda na frente europeia, destaque para a compra pela Fresenius Medical Care da americana NxStage, por 1,7 mil milhões de euros. As acções da companhia alemã deslizam 0,45% para 78,88 euros.

(Notícia actualizada às 8:30 com mais informação)