Bolsa Bolsa de Lisboa inverte para quedas, em linha com Europa

Bolsa de Lisboa inverte para quedas, em linha com Europa

Os ganhos de início de sessão foram momentâneos para o PSI-20, que passou a acompanhar a tendência de quedas no resto do Velho Continente, onde os máximos de quase ano e meio levam à tomada de mais-valias.
Bolsa de Lisboa inverte para quedas, em linha com Europa
Bloomberg
A abertura em alta ligeira da praça portuguesa (0,1%) deu lugar minutos depois a uma inversão, com a generalidade dos títulos do principal índice nacional em terreno negativo e o BCP, que chegou a puxar pelos ganhos no início desta quinta-feira, a estabilizar nos 0,18 euros com que tinha encerrado o dia ontem.

Lisboa acompanha o recuo das acções europeias, onde os investidores aproveitam para realizar mais-valias depois dos máximos de quase ano e meio registados ontem.

O PSI-20 segue a cair 0,23% para 4,967.73 pontos, com as maiores fontes de pressão a chegarem da Galp (a recuar 0,38% para 14,595 euros) e do universo EDP, com a casa-mãe a recuar 0,22% para 3,158 euros.

Na quarta-feira, a Moody’s considerou que a venda da espanhola Naturgas e da portuguesa EDP Gás por mais de três mil milhões de euros vai ter impacto nos lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) do grupo. 

"Como resultado da venda da EDP Gás e da Naturgas, a proporção dos ganhos da EDP com as redes reguladas ibéricas vai recuar, de aproximadamente 27% do EBITDA do grupo de 3.700 milhões de euros em 2016, para 22%", escreveram os analistas da Moody's em comunicado.

A maior queda do índice cabe contudo à Mota-Engil, com a construtora a recuar 1,82% para 2,267 euros, a corrigir do disparo superior a 5% verificado na sessão de ontem. A contribuir para que Lisboa ponha fim a duas sessões de ganhos está ainda a Jerónimo Martins.

O único ganho na praça portuguesa cabe neste momento à Pharol: a accionista de referência da Oi ganha 0,59% para 0,341 euros.

No resto da Europa as quedas são, porém, mais pronunciadas que em Lisboa, superando os 0,5% em praticamente todos os índices do Velho Continente. 

A agenda do dia não tem indicadores económicos em destaque, estando as atenções centradas na divulgação das contas de três grandes bancos norte-americanos: Citigroup, JP Morgan e Wells Fargo.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
ALGUEM me sabe DIZER Há 2 semanas

alguem me SABE DIZER Porque é que o bcp é a únnica ação em toda a europa a perder mais de 3 % Então é assim que os nossos GOVERNANTES querem tirar portugal do lixo È a Afundar o MILENIUM BCP TODOS os dias

pub
pub
pub
pub