Bolsa Bolsa de Lisboa valoriza na segunda sessão de ganhos

Bolsa de Lisboa valoriza na segunda sessão de ganhos

Valorizações da Corticeira Amorim, CTT e Galp, na ordem de 1,5%, colocam Lisboa na rota dos ganhos da maioria das pares europeias. Madrid é excepção, penalizada pelos títulos do sector financeiro, no dia da resolução do Popular.
Bolsa de Lisboa valoriza na segunda sessão de ganhos
Miguel Baltazar/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 07 de junho de 2017 às 12:28
As valorizações da Galp, da Jerónimo Martins e dos CTT estão a sustentar o sinal positivo na praça portuguesa esta quarta-feira, 7 de Junho, que assim acompanha as valorizações no resto das bolsas europeias.

O PSI-20 soma 0,35% para 5.337,70 pontos, com oito títulos em alta, dois inalterados e os restantes nove em terreno negativo, com as maiores valorizações a caberem à Corticeira Amorim, CTT e Galp na ordem de 1,5%.

O sinal positivo da petrolífera está em contraciclo com a queda verificada no preço do petróleo em Nova Iorque e em Londres, onde o valor por barril recua mais de 0,5%, mantendo-se em ambos os casos abaixo dos 50 dólares.

A Jerónimo Martins soma 1,41% para 17,975 euros, no dia em que o Negócios noticia que o grupo vai investir num novo centro de distribuição, com 250 postos de trabalho, na Polónia, principal mercado. 

A travar maiores ganhos estão os títulos do BCP (cai 0,43% para 0,2325 euros), Nos - que recua 0,02% para 5,5 euros - e Pharol, que cede 0,34% para 0,289 euros.

A praça portuguesa acompanha a generalidade das pares do velho continente, onde apenas Madrid apresenta sinal vermelho, pressionada pelo sector bancário. No IBEX 35, o Santander cai mais de 1%, aliviando de perdas que já superaram os 3%, depois de ter sido anunciada a aquisição do Banco Popular por um euro no âmbito de uma medida de resolução.

A integração do Popular leva o Santander a avançar para um aumento de capital de cerca de 7.000 milhões de euros, dando primazia aos actuais accionistas na subscrição dos novos títulos.

A sua opinião35
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Corrijo Maleinveja Há 2 semanas


Carla Pedro Carla Pedro cpedro@negocios.pt
30 de maio de 2017 às 23:59
Entre Janeiro e Março deste ano, o resultado líquido da Sonae Investimentos atribuível aos accionistas da empresa-mãe foi negativo em 7,363 milhões de euros, uma deterioração face aos ganhos de 31,504 milhões

Corrijo Maleinveja Há 2 semanas


Carla Pedro Carla Pedro cpedro@negocios.pt
30 de maio de 2017 às 23:59
Entre Janeiro e Março deste ano, o resultado líquido da Sonae Investimentos atribuível aos accionistas da empresa-mãe foi negativo em 7,363 milhões de euros, uma deterioração face aos ganhos de 31,504 milhões reportados

Re: Re: Re: Pharol + OI Há 2 semanas

Pois, e até Fevereiro a Pharol aumentou mais de 300%! E o futuro logo vai ver, ou acha que a OI vai falir? É um cenário á muito ultrapassado, toda a gente sabe disso! O acordo entre credores está praticamente finalizado! Olhe para o seu(???) BCP que bem vai precisar, disso é que não há duvidas!

anonimo Há 2 semanas

Acho hilariante os comentários dos BCP Patos sobre a Pharol, pensando estes que, desta forma, potenciais acionistas irão deixar de investir na Pharol ou outros para investir no BCP! É de morrer a rir! Olhem o que está a acontecer e irá acontecer no BCP!!! Vai ser bonito!

ver mais comentários
pub