Bolsa Bolsa de Madrid acentua queda e juros espanhóis sobem após declaração de independência da Catalunha

Bolsa de Madrid acentua queda e juros espanhóis sobem após declaração de independência da Catalunha

Os investidores estão a penalizar o mercado espanhol depois da Catalunha ter declarado a independência. A bolsa de Madrid está a cair quase 2%. Já os juros estão a subir, contrariando as quedas que se assistem no resto da Europa.
Bolsa de Madrid acentua queda e juros espanhóis sobem após declaração de independência da Catalunha
Reuters
Sara Antunes 27 de outubro de 2017 às 15:21
O Parlamento catalão proclamou a independência da Catalunha. Contados e recontados os votos, a presidente do parlamento catalão confirmou as expectativas e anunciou a aprovação da resolução de declaração de independência da Catalunha. A proposta foi aprovada com 72 votos a favor, 10 contra e dois em branco.

O principal índice da bolsa de Madrid, o IBEX35, está a cair 1,80% para 10.161,10 pontos, numa altura em que dos 35 membros que o compõem apenas dois escapam às quedas. 

Os bancos estão entre os títulos mais pressionados, com o Sabadell e o CaixaBank a deslizarem mais de 5%. O BBVA, que antes da abertura do mercado apresentou os resultados dos primeiros nove meses, com os números a superarem as estimativas, está a ceder mais de 3%. Assim como o Bankia. 

Mas as quedas são transversais aos sectores. Apenas a Grifols e a Abertis contrariam esta tendência, seguindo com ganhos na ordem de 0,5%.

No mercado da dívida o impacto também é visível. Numa altura em que a generalidade dos países está a sentir um alívio nos juros devido ao anúncio do Banco Central Europeu (BCE), de prolongar até Setembro de 2018 o programa de compra de activos, ainda que reduza para metade o valor das compras para 30 mil milhões de euros, os juros de Espanha estão a subir. 

A taxa de juro implícita na dívida a 10 anos está a subir 6,3 pontos base para 1,6%. Comparando com Portugal, a "yield" associada à dívida nacional a 10 anos está a recuar 3,9 pontos para 2,198%, o que coloca o "spread" da dívida portuguesa face à espanhola abaixo dos 60 pontos, o que corresponde ao valor mais baixo desde Outubro de 2015.

Entretanto a câmara alta do Congresso de Espanha aprovou as medidas que ao abrigo do artigo 155.º da Constituição vão permitir a Madrid suspender o autogoverno da Catalunha, o que poderá acontecer ainda hoje, após a reunião de Conselho de Ministros, que começa às 19:00, hora de Madrid (18:00 em Lisboa).



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub