Mercados Bolsa de Madrid sobe mais de 2% animada pela banca

Bolsa de Madrid sobe mais de 2% animada pela banca

No dia em que se espera uma clarificação da Generalitat quanto à questão independentista da região, o índice espanhol segue na frente dos ganhos, animado pela prestação do sector financeiro e a digerir BCE e resultados empresariais.
Bolsa de Madrid sobe mais de 2% animada pela banca
Paulo Zacarias Gomes 26 de outubro de 2017 às 15:03
A praça bolsista da capital espanhola lidera os ganhos entre as congéneres europeias registando subidas superiores a 2% ao início da tarde desta quinta-feira, 26 de Outubro, com o sector financeiro entre as principais valorizações. Os ganhos - que são em termos intradiários os maiores desde 5 de Outubro - acontecem numa altura em que permanece a incerteza sobre a situação catalã e os investidores digerem a decisão do BCE e resultados da banca.

O IBEX 35 já esteve a subir 2,65% para máximos de dois meses e ganha agora 2,20% para 10.376,2 pontos. A maior valorização do índice cabe ao banco Sabadell - dispara 5,13% para 1,701 euros -, instituição com ligações à Catalunha e que recentemente mudou a sua sede de Barcelona devido à instabilidade na região.

Títulos como a seguradora Mapfre, a industrial Siemens Gamesa ou a imobiliária Colonial avançam mais de 4%, ao passo que o Santander - que esta quinta-feira apresentou uma subida de 10% dos lucros até Setembro, para 5.077 milhões de euros - ganha 3,69% para 5,84 euros, seguido de perto do catalão CaixaBank: o dono do BPI soma 3,56% para 4,016 euros.

A praça madrilena acompanha assim a toada positiva do resto das praças europeias, que se firmou depois da confirmação por parte do Banco Central Europeu de que o programa alargado de compras de activos se manterá pelo menos até Setembro do próximo ano, apesar do montante mensal médio alocado a aquisições ter caído para metade (30 mil milhões de euros).

A marcar o dia em termos políticos está a incerteza em torno da questão independentista catalã, com sinais evidentes de divisões entre os partidos que suportam o governo regional (Generalitat) depois da expectativa criada de que o presidente do governo, Carles Puigdemont, possa vir a convocar eleições antecipadas para atenuar os efeitos da suspensão da autonomia da região por parte de Madrid.

Puigdemont adiou já hoje por duas vezes uma comunicação onde se esperava a convocação desse sufrágio. A partir das 16:00 espera-se que discuta a resposta da Generalitat ao recurso ao artigo 155.º da Constituição, que deve ser validado na sexta-feira pelo Senado (câmara alta do Congresso espanhol).

A possibilidade de eleições autonómicas poderá contribuir para reduzir a tensão entre Barcelona e Madrid e apresenta um caminho alternativo à activação do artigo 155.º, factor que também deverá estar a beneficiar as acções.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub