Bolsa Bolsa desce pela segunda sessão com EDP a pressionar  

Bolsa desce pela segunda sessão com EDP a pressionar  

A bolsa nacional segue o desempenho das praças europeias, estando a ser pressionada pela EDP e EDP Renováveis.
Bolsa desce pela segunda sessão com EDP a pressionar   
Nuno Carregueiro 21 de dezembro de 2017 às 08:15

O PSI-20 desce 0,24% para 5.393,65 pontos, com seis cotadas em alta, sete em queda e cinco sem variação. O índice português desce pela segunda sessão, depois de uma série de três sessões em alta.

 

Na Europa a tendência permanece negativa, com os índices a descerem pela terceira sessão, com os investidores a aproveitarem para realizar mais-valias agora que a reforma fiscal já foi aprovada no Congresso dos Estados Unidos.

 

As empresas do Grupo EDP são as que mais penalizam o PSI-20. A EDP cede 0,59% para 2,86 euros e a EDP Renováveis cai 0,52% para 6,715 euros.

 

Ontem a EDPR anunciou que assegurou novos contratos de aquisição de energia (CAE) no Brasil, para 218 MW de geração eólica, o que eleva a 482 MW os projectos de energia eólica naquele país, entre parques em construção e desenvolvimento. Na véspera a EDP tinha anunciado que a sua participada brasileira EDP Brasil tinha comprado uma participação 14,46% do total das acções da Centrais Elétricas de Santa Catarina (33,1% das acções ordinárias e 1,9% das acções preferenciais), por 59,2 milhões de euros.

 

Ainda a pressionado o índice o BCP recua de máximos de Agosto de 2016, com as acções a cederem 0,3% para 0,2694 euros. A Jerónimo Martins cai 0,22% para 15,60 euros.

 

Os CTT permanecem em alta, com as acções a subirem 0,14% para 3,66 euros. A empresa dos Correios fechou ontem a subir mais de 5%, com os investidores a reagirem de forma favorável ao plano de reestruturação que prevê o corte de 800 postos de trabalho em três anos.

 

A Galp Energia também limita as quedas do PSI-20, com uma subida de 0,26% para 15,56 euros, numa sessão em que o petróleo negoceia em terreno positivo.




pub