Bolsa Bolsa nacional acentua perdas com Nos em mínimos de dois anos

Bolsa nacional acentua perdas com Nos em mínimos de dois anos

A bolsa lisboeta continua a negociar em terreno negativo, embora num vermelho mais carregado face ao início da sessão. Perdas da Nos, que está em mínimos de dois anos, do retalho e da energia estão a pressionar.
Bolsa nacional acentua perdas com Nos em mínimos de dois anos
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 23 de janeiro de 2017 às 11:50

O PSI-20 está a recuar 0,36% para 4.585,18 pontos, com 12 cotadas a negociar em queda, seis em alta e duas inalteradas, isto numa altura em que a praça lisboeta acentua perdas comparativamente com o início da sessão desta segunda-feira, 23 de Janeiro.

 

O principal índice nacional segue a tendência de quedas verificada na generalidade das principais bolsas europeias, com o índice de referência europeu a transaccionar mesmo no valor mais baixo desde 30 de Dezembro, naquela que é já a terceira sessão consecutiva em que o Stoxx 600 perde valor.

 

Por cá é a Nos que mais penaliza, com a operadora de telecomunicações a perder 1,98% para 5,111 euros, valor que representa um mínimo de 15 de Janeiro de 2015.

 

Também a pressionar está o sector do retalho, com a Sonae a resvalar 2,45% para 0,835 euros e a Jerónimo Martins a deslizar 0,47% para 15,845 euros.

 

Ainda no vermelho está igualmente o sector da energia, com a EDP a perder 1,15% para 2,748 euros, a Galp Energia a recuar 0,86% para 13,905 euros, isto numa altura em que o petróleo segue em queda nos mercados internacionais, estando o Brent a cair 1,24% para 54,80 dólares por barril, e a EDP Renováveis a descer 0,40% para 5,736 euros.

 

Já na banca o sentimento divide-se. Enquanto o BPI cede ligeiros 0,09% para 1,131 euros, o BCP ganha 1,46% para 0,1598 euros enquanto os direitos que possibilitam a aquisição de novas acções estão a valorizar 10,12% para 0,903 euros.

 

Na última sessão os títulos do banco liderado por Nuno Amado já valorizaram depois de a CMVM ter impedido o "short selling", ou seja, a realização de apostas na queda das acções do banco. Entretanto, esta segunda-feira os títulos da instituição já não estão a ser transaccionados com esta proibição.

 

Nota também para a Caixa Geral Montepio que está nesta altura inalterada nos 0,412 euros num dia em que já tocou num novo mínimo histórico ao negociar nos 0,401 euros.

 

Por fim, destaque pela positiva para a Altri que soma 0,24% para 4,117 euros após já ter transaccionado nos 4,154 euros, que representa o valor mais alto desde Janeiro de 2015.


A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
ABCDEF1 23.01.2017

Então a porcaria da sonae estava tão bem com lucros fabulosos e com record e entre ontem( 6ª.) e hoje já lá vão 6% pelo cano. Este país está a caminhar para o abismo.

ABCDEF1 23.01.2017

Ai país, para onde caminhas? Está tudo falido.

Anónimo 23.01.2017

A Black Rock (maior fundo do mundo) reforçou à uns dias atrás para mais de 2% na NOS andam atrás do aumento do dividendo que parece vir por aí, falta saber o montante...num dia bom esta acção sobe 5 a 10% eu assim que tiver mais dinheiro se se mantiver por estes preços ou mais baixos, vou reforçar sem dúvida. BN.

Anónimo 23.01.2017

SONAE SHOW.................................................

ver mais comentários
pub