Bolsa Bolsa nacional cai arrastada pela energia

Bolsa nacional cai arrastada pela energia

A bolsa nacional iniciou mais uma sessão em queda, numa altura em que o sector da energia é determinante para o comportamento.
A carregar o vídeo ...
Sara Antunes 29 de dezembro de 2017 às 08:07
O PSI-20 recua 0,12% para 5.362,30 pontos, numa altura em que 11 cotadas seguem em queda, cinco em alta e duas inalteradas. Entre os congéneres europeus a tendência também é de quedas ligeiras, num período marcado pela ausência de notícias e de muitos investidores do mercado devido à época festiva. Ainda assim, os investidores aguardam hoje pela divulgação da inflação na Alemanha e reflectem na negociação a marcação das eleições em Itália para 4 de Março.

A contribuir para a queda da bolsa nacional está o sector da energia, com a EDP a recuar 0,17% para 2,875 euros, a EDP Renováveis a ceder 1,30% para 6,70 euros, a REN a perder 0,33% para 2,453 euros e a Galp Energia a cair 0,19% para 15,525 euros. 

Já o BCP trava a queda do índice, ao subir 0,30% para 0,271 euros, assim como os CTT, que apreciam 0,46% para 3,50 euros.

A Jerónimo Martins também está a subir 0,28% para 16,18 euros, contribuindo assim para uma queda menor da bolsa nacional. 

Esta é assim a sexta queda consecutiva na bolsa nacional. Ainda assim, o balanço do ano é positivo, com o PSI-20 a subir quase 14,5%, uma subida bastante superior à valorização de 7,8% registada pelo Stoxx600, o índice que agrega as 600 maiores cotadas europeias.

(Notícia actualizada com mais informação)



A sua opinião19
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

O investimento relacionado com a economia portuguesa, maioritariamente estrangeiro mas também de origem nacional, deslocou-se para a especulação com a dívida uma vez que a mentira de Centeno pegou. Agora, as mais-valias com a dívida vão realizar-se mas o novo investimento aqui direccionado vai mudar-se para as economias que, indo ao revés da fantasia enganosa de Centeno, fizeram e continuam a fazer reformas sérias e oportunas com vista à flexibilização, modernização e liberalização dos mercados de factores e de bens e serviços de modo a poderem optimizar a criação de valor nessas economias de forma justa e sustentável. Poortugal das esquerdas unidas resume-se a oportunidade especulativa com a dívida pública, o bitcoin das dívidas soberanas.

comentários mais recentes
Quem sois Vós, 21 Votantes do ANÓNIMO + votado? Há 2 semanas

Se sois quem eu penso, tendes todos cursos superiores.
E como tal, todos tendes a capacidade de expor os Vossos pontos de vista evidenciando cabalmente não estares a fazer o papel de “paus mandados” ao serviço do “anónimo mais votado”, que bem suspeito quem possa ser.
Os frequentadores deste fórum certamente teriam todos o interesse de ouvirem a Vossa opinião, e convido-vos, portanto, que nos honrem com ela.

Melhores cumprimentos de quem deseja ser Vosso leitor atento

RE: Ao Anónimo mais "votado" Há 2 semanas

“O investimento relacionado com a economia portuguesa, maioritariamente estrangeiro”
Se és quem eu penso, em vez de te arvorares em Juiz deverias ser considerado Réu !
Porque se os Portugueses estão a gerar escassa poupança para investir na economia portuguesa, não será seguramente por, de um momento para o outro, se terem metamorfizado de formigas em cigarras!
É porque não são parvos como nunca o foram, e, se não lhes dão recompensa adequada para pouparem, muito logicamente concluem que não vale a pena o sacrifício de deixar para o futuro, o que são tentados a consumir hoje.
PS: Parabéns por teres saído incólume do caso da Raríssima, em que, suponho, não tinhas culpas, a não ser o de teres sido ingénuo.
Mas que o exemplo da Raríssima não seja olvidado:
Houve 9 (nove !!!) tentativas de aviso antes que o escândalo rebentasse;
Mas havendo razão para escândalo, não há Santa Missa que o impeça de rebentar.
E onde (suponho) que estás, ainda haverá muitos esqueletos nos armários…
Bom Ano.

nelson barros Há 2 semanas

Re: Sr Menoli grato pela dica em relação há Mota, embora reconheça que ganhou muitas obras e a construção está a recuperar, mas vou seguir o seu conselho e aguardar por 2018. Bons negócios

O BCP vai fechar ao valor mais alto de 2017 Há 2 semanas

Nada mau para um banco falido...onde só os fundos abutres é que ganham.

Quá, quá.

ver mais comentários