Bolsa Bolsa nacional cai pelo terceiro dia pressionada pelo BCP e Sonae

Bolsa nacional cai pelo terceiro dia pressionada pelo BCP e Sonae

A praça lisboeta negociou em queda pela terceira sessão seguida, num dia em que as quedas do BCP e da Sonae foram as que mais pressionaram em Lisboa.
A carregar o vídeo ...
David Santiago 15 de janeiro de 2018 às 16:41
O PSI-20 encerrou a sessão desta segunda-feira, 15 de Janeiro, a recuar ligeiros 0,04% para 5.620,95 pontos, com oito cotadas em queda e as restantes 10 em alta. Depois de um início de semana a negociar em terreno positivo, a bolsa lisboeta invertou, tendo alternado entre ganhos e perdas para terminar o dia em linha com a tendência de quedas que predominou nas principais praças europeias, penalizadas pela forte valorização do euro que negociou nos mercados cambiais em máximos de 2014. 

Em Lisboa, o BCP foi a cotada que mais pressionou ao perder 1,66% para 0,291 euros. O banco liderado por Nuno Amado desvalorizou depois de a sua filial polaca, o Bank Millennium, ter sido multado na Polónia numa coima do valor de 20 milhões de zlotys, perto de 4,8 milhões de euros.

Nota negativa também para a Sonae que resvalou 1,31% para 1,201 euros. Em sentido inverso, a Jerónimo Martins somou 0,87% para 17,455 euros. As duas retalhistas negociaram em direcções distintas no dia em que ambas subiram no "raking" dos maiores grupos de retalho do mundo.

Na energia a tendência geral foi de ganhos, excepção feita para a Galp Energia que deslizou 0,28% para 16,205 euros. Já a EDP valorizou 2,03% para 2,91 euros, a EDP Renováveis avançou 0,14% para 7,08 euros e a REN apreciou 0,48% para 2,538 euros.

Também a penalizar estiveram a Nos e a Pharol, com a primeira a recuar 0,18% para 5,49 euros e a segunda a perder 4,35% para 0,253 euros. 

A travar uma maior descida em Lisboa estiveram cotadas como os CTT, que somaram 0,46% para 3,51 euros, recuperando parcialmente das perdas acumuladas na última semana, e a Ibersol, que ganhou 1,24% para 12,20 euros.

(Notícia actualizada às 16:48)



A sua opinião22
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 15.01.2018

A ruína e atraso de Portugal, face aos seus congéneres europeus mais desenvolvidos e ricos, tem como base o facto de se ter criado em Portugal um sistema que, gradualmente, gerou duas seguranças sociais públicas. Uma oficial e outra oficiosa. A oficiosa é parte integrante não de um Estado de Bem-Estar Social legítimo mas antes de um Estado de Bem-Estar Salarial iníquo e insustentável para sindicalizados, em especial do sector público, que auferem uma onerosa e injustificável prestação social sob a forma de remuneração em clara situação de sobreemprego vitalício ou sobrepagamento em crescendo, mesmo quando o preço de mercado para as tarefas que realizam não pára de descer nos mercados mundiais ou a procura, em variadíssimos casos, pura e simplesmente desapareceu se é que alguma vez existiu. Os 4000 despedimentos na banca lusa em 2017, tirados a ferros de forma tardia, cara e incompleta, foram apenas a ponta de um vergonhoso icebergue que as esquerdas teimam em querer esconder.

comentários mais recentes
Professor do MB 15.01.2018

Massa Bruta conjuga o presente do indicativo do verbo haver! E já agora o gerúndio! É uma constante em ti escreveres no gerúndio! Já a segunda pessoa do singular do pretérito perfeito não é o teu forte, como se tem visto!

Criador de Touros 15.01.2018

Este massa bruta de facto não acerta uma. Para ele um nick e uns tennis da nike são a mesma coisa. Parece de facto que não teve pai nem mãe, nem professores. Daí o nome que ele pôs a ele próprio: massa bruta. Quem é bruto não aprende. Continua com a tua diarreia, massa bruta.

MB 15.01.2018

Niks ou nicles?

Atenção que ainda usa mais niks disfarçado 15.01.2018

"Menoli"
"Lusa Atenas"
"Artista"
"Carp Diem"
"como Anónimo"
"Criador de Touros"
estes são alguns nikes que "Criador de Touros" usa aqui no jornal de Negocios.
ve-se claramente que é um individo desequilibrado mentalmente, que
pensa que é mais esperto que os outros, que as perdas nas ações
lixaram a cabeça toda dele.
como pouco falam com Criador de Touros, inventa Nikes e poe-se a falar
entre ele com esses Nikes que inventou, para demonstrar que é mais que
os outros.
Mas também muito grave, e a psicose que acusa a "esquerda" por tudo e por nada, quando grandes burrices são feitas pela "direita".
um caso nato psiquiatria.

ver mais comentários
pub